Subscribe Twitter Twitter

10 de abril de 2013

Vamos Pensar?


Joelmas e Danielas, Genoínos e Felicianos, Jeans e Bolsonaros...

Eu realmente queria que as pessoas pensassem onde vamos parar com o rumo que a mídia, o governo e (me permitam: como massa de manobra) a sociedade têm refletido sobre o movimento gay e suas últimas ações.

Todas as pessoas precisam ser respeitadas dentro dos limites e direitos que lhes são assegurados na nossa Carta Magna, entretanto os direitos à liberdade (religiosa e de expressão) tem sido cerceados para todas as pessoas que não apoiam integralmente o homossexualismo. 

Contraditoriamente, a recíproca não é verdadeira. Veja o exemplo de duas cantoras famosas que vieram à mídia nos últimos dias. Daniela Mercury se declarou homossexual e em união homoafetiva com uma jornalista e publicou fotos lésbicas que foram bem aceitas e até festejadas; por outro lado, uma mera declaração de Joelma (do Calypso) contrária em sua opinião ao casamento homossexual com base em sua fé, foi motivo de retaliações e até atos de violência.

Marcos Feliciano - por quem não nutro nenhuma admiração teológica - tem sido a bola da vez da mídia; e quando vai pregar a sua fé em igrejas pelo Brasil, ativistas gays entram em locais reservados e protegidos pela Constituição para realizarem seus beijaços, e quem é visto como intolerante e radical não são os que usam a violência e a truculência para impor a sua ditadura! Enquanto isso, 'fichas sujas' como José Genoíno presidem sem qualquer foco ou pressão outras comissões importantes... e assim caminha o nosso Congresso Nacional.

Declarações contra o homossexualismo como as de Jair Bolsonaro são imediatamente vistas como loucas e radicais, enquanto figuras como Jean Wylliams podem até desfazer da fé alheia e atacar quem crê na Bíblia de forma ríspida e deseducada e intolerante que nenhuma frase na mídia é dita contra isso.

Os casos se multiplicam, os problemas se agigantam, e eu chamo o povo brasileiro à uma reflexão honesta e sincera, sem fazer proselitismo religioso ou qualquer coisa dessa ordem.

Temos ou não liberdade de expressão? Podemos ou não aceitar um credo religioso que não incite qualquer tipo de rebelião contra a dignidade humana? Podemos ou não pensar diferente de outros?

... Ou sera que serei rechaçado também simplesmente por chamar o povo para pensar?

16 comentários:

Rev.João Ricardo Ferreira de França disse...

Tenho o mesmo sentimento quando leio as "Manchetes" dos Facebooks!E vejo que a mídia televisiva e radiofônica tem instaurado o autos do processo público e os culpados são: Os cristãos que são contra o comportamento homossexual.

Anônimo disse...

Caro Pastor, profundo e simples ao mesmo tempo.

Pódium - Física disse...

Muito bom... Tenho tido a mesma impressão nos últimos dias...

Rebecca Figueiredo disse...

Excelente texto pastor, você conseguiu de forma rápida e clara expressar o que a maioria de nós que acreditamos na autoridade da bíblica em relação ao homossexualismo tem sentido e tem tentado expressar nos últimos dias no meio de todas essas discussões na mídia e nas redes sociais.

Anônimo disse...

Gostei do texto, só queria ressaltar que as acusações contra Jean Wyllys em que ele diz defender a pedofilia foi comprovado não existir. Disseram que ela foi feita na radio CBN, a qual mesma desmentiu e afirmou que isso nunca existiu, o audio também nunca foi encontrado. Outro detalhe é sobre o uso da palavra homossexualismo, não sei se é proposital, mas é arcaico, é homossexualidade agora.

No mais, concordo que é hipócrita os movimentos LGBT agirem de tal forma, invadirem as igrejas e afrontar as crenças alheias, que se tomem a discussão e a luta em ambientes neutros, não as levem ao ambito privado.

Tomaz disse...

Pastor,

Pensar é importante, e mais importante que pensar é não dar falso testemunho. Jean Wyllis apoiando a pedofilia - gostaria de um link com uma matéria ou com um video disso, antes da afirmação ser feita.

Daniela Mercury e Joelma é uma outra afirmação, uma falou 'Sou homossexual, e sou gente', e joelma comparou homossexuais a drogados - existe ai a discriminação.

Podemos pensar - mas nunca podemos dizer 'porque deus quis assim'.

T

Claudio Soares disse...

Samuel, querido pastor,
Paz!
Uma dúvida apenas: você usou de retórica ou, ao contrário, afirmou peremptoriamente que Jean Willys, a par de outros, defende a pedofilia? Se afirmou, teria como me passar a fonte desta informação?
Abraços,
Claudio Soares.

Marcelo Barbosa disse...

Excelente cometário, equilibrado e conciso, trazendo a baila fatos claros e irrefutáveis. Parabéns Samuel. Que o Deus Todo Poderoso continue te iluminando.

André disse...

quanto à essa história de que Jean Willys defendeu a pedofilia, qual a fonte dessa informação?

Samuel Vitalino disse...

A fonte da informação do Willys foi o Face e se não houve, peço perdão e mudarei o texto, manterei ressaltando seus ataques frontais à Bíblia e a fé das pessoas que acreditam nela.

Samuel Vitalino disse...

Pronto.

Anônimo disse...

Morra

Anônimo disse...

Qual o problema de comparar um gay a um usuário de drogas? Ambos se valem da "liberdade de uso do próprio corpo", ou seja,estão todos no mesmo barco.Partindo dessa premissa,até o ato de comer fezes tem que ser respeitado como "liberdade individual".

Se os gays se sentiram ofendidos com a comparação da Joelma,trata-se de puro preconceito e discriminação em relação aos usuários de drogas.

Samuel Vitalino disse...

Muito bem colocado.

Samuel Vitalino disse...

Um dia, com a graça de Deus eu estarei com ele!

Anônimo disse...

Desculpa, mas você não explicou o motivo pelo qual não Gosta da teologia do pastor Feliciano, ficou um pouco confuso e aéreo.