Subscribe Twitter Twitter

9 de maio de 2013

Olhos de Mãe



Os olhos que temeram no espelho, do corpo, a mudança...
São os mesmos olhos que brilharam ao ter nos braços sua criança.

Os olhos que assistiram os momentos de choro de aflição...
São os mesmos olhos que contemplaram o primeiro sorriso de satisfação.

Os olhos que marejaram ao ver o filho indo para a escola pela primeira vez...
São os mesmos olhos que se alegraram vendo as brincadeiras da meninez.

Os olhos que se esbravejaram no momento da repreensão...
São os mesmos olhos que se enterneceram diante da meiga afeição.

Os olhos que se arregalaram diante do perigo iminente...
São os mesmos olhos que insinuaram alívio diante do obedecente.

Os olhos que choraram o amargor do filho malcriado...
São os mesmos olhos que testemunharam o arrependimento inconsolado.

Os olhos que enxergaram além do que o horizonte infantil proporciona...
São os mesmos olhos que protegem o ente qual forte amazona.

Os olhos que miraram a Bíblia enquanto a lia com devoção...
São os mesmos olhos que se fecharam por minha causa em oração.

Os olhos que se cerraram para não ver os defeitos...
São os mesmos olhos que sorriram nos desastrosos desjeitos.

Os olhos que pela fé imaginaram do Redentor a aparência...
São os mesmos olhos que o contemplarão face a face em toda luminescência!

Feliz Dia das Mães!

Pr. Charles

2 comentários:

Raquel * mãe do Gabriel e da Alice* disse...

Que lindíssimo poema!! Que Deus continue dirigindo sua vida, te capacitando e dando muito sabedoria. Parabéns pelo blog.

Raquel * mãe do Gabriel e da Alice* disse...

Que poema lindíssimo!! Que o Senhor continue te capacitando e guiando.