Subscribe Twitter Twitter

2 de agosto de 2011

A Redenção da Família


Os debates recentes sobre a homossexualidade têm trazido à tona os valores sobre a família. O universo familiar tem se mostrado cada vez mais distorcido. No dia 25 de maio de 2011, um juiz brasileiro concedeu o direito de adotar um menino a duas lésbicas. Alguns casais de gays já conseguiram o benefício. Perceba como o princípio criacional do núcleo familiar como constando de homem, mulher e filhos foi solapado. O conceito de família está perdido, longe do princípio criacional. Por essa razão, precisa de redenção.

Levando essa realidade em conta, pensemos um pouco sobre os princípios estabelecidos por Deus:

O Núcleo Familiar: Homem e Mulher

A Bíblia relata que Deus fez homem e mulher (Gn 1.27) e lhes ordenou que se multiplicassem e enchessem a terra (v.28). Deus instituiu as relações familiares criando o homem e, logo depois, a mulher. Deus sabia que a solidão não era boa coisa para Adão (Gn 2.18), mas este ainda não havia percebido isso tão claramente. Para que o homem percebesse sua solidão, Deus lhe deu a tarefa de nomear os animais. Assim ele facilmente percebeu que cada macho possuía sua fêmea correspondente, menos ele. Então Deus curou sua solidão. Deus formou Eva da costela de Adão e lha trouxe. Ele concluiu que sua solidão estava curada, quando afirmou: “esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne” (Gn 2.23). Era como se dissesse: “até que enfim, minha solidão foi curada; pois agora tenho uma fêmea correspondente, compatível!”. Deus estabeleceu um princípio a respeito da característica fundamental do núcleo familiar: homem e mulher. O homem naturalmente está ligado a seus pais, mas quando se une à sua mulher, cria um vínculo mais forte com ela (Gn 1.24). Juntos, agora podem procriar e cumprir a ordem do Senhor.

A Importância da Procriação Hoje

Aos que dizem que a ordem de encher a terra já foi cumprida, eu respondo: este princípio é criacional e perpétuo. A ordem de Deus vale para hoje também. Devemos ter filhos porque assim preservamos nossa identidade cultural e até religiosa. Um dos fatores que contribuem para o crescimento numérico da igreja é a procriação de seus membros. Para ilustrar a questão da preservação cultural através da fertilidade de um povo, cito Kadafi, o ditador da Líbia, que afirmou que “os muçulmanos tomarão conta da Europa sem pegar em armas”, porque a taxa de fertilidade do europeu é bem inferior à dos muçulmanos. Como nascem muito mais bebês entre muçulmanos do que entre europeus, a identidade cultural européia está sob seríssima ameaça. A razão do recente massacre na Noruega foi justamente a percepção de que o número de muçulmanos crescia assustadoramente na Escandinávia por um rapaz fraco de espírito e extremista, que não soube como lidar com sua frustração.

A Solução Bíblica para a Redenção da Família

A fim de redimir famílias partidas e comprometidas pela iniqüidade, a Bíblia reordena um princípio criacional no Novo Testamento. Paulo disse que o presbítero deveria ser “marido de uma só mulher” (1Tm 3.14). O presbítero deveria ser exemplo na igreja e viver de acordo com o padrão estabelecido por Deus no princípio. Também é dito que o marido deve amar a esposa “como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25). Além disso, a Bíblia reafirma o princípio criacional da liderança masculina ou da submissão da esposa: “as mulheres sejam submissas ao próprio marido como ao Senhor” (Ef 5.22). Os filhos são ordenados a honrar seus pais, pois isso é justo (Ef. 6.1-3). Note que as relações familiares sempre envolvem pais (marido e mulher) e filhos. Jamais o homossexualismo caracteriza um núcleo familiar.

A Bíblia insere propositalmente as relações familiares no trecho em que Paulo discorre sobre a necessidade de analisarmos nossa vida minuciosamente, como sábios que sabem priorizar o que de fato é importante no dia a dia (Ef 5.15-21). A remissão do tempo envolve gastá-lo com coisas úteis, evitando o excesso de entretenimento e desperdício, sempre buscando glorificar a Deus. Paulo diz que, em vez de nos embriagarmos com o vinho, no qual há extravagância e confusão, devemos buscar diligentemente a plenitude do Espírito. Várias ações contínuas são necessárias para que sejamos cheios do Espírito: falar mutuamente com salmos, entoar e louvar de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dar graças por tudo a Deus e sujeitando-nos uns aos outros. É exatamente nesse ponto que Paulo continua: “as mulheres sejam submissas ao seu próprio marido como ao Senhor”. As relações familiares incluem a sujeição uns aos outros no temor de Cristo. Cá entre nós: o lugar mais difícil do mundo de ser crente de verdade é dentro de casa.

Vamos redimir a família brasileira! Vamos apregoar que o alicerce da família está no princípio criacional de homem, mulher e filhos. Vamos esclarecer que a união homoafetiva (como eles chamam) é contrária ao padrão estabelecido por Deus na criação do mundo! Que os homens aprendam a liderar com firmeza e amor o seu lar, criando os filhos sob a disciplina e admoestação do Senhor (Ef 6.4). Que as esposas aprendam a cada dia a ser submissas ao seu próprio marido como ao Senhor! Que as crianças tenham referenciais de masculinidade e feminilidade bem claros desde cedo. Oriente seus filhos meninos brincarem de coisas próprias de menino. Que as meninas sejam encorajadas a brincar com brinquedos próprios de menina.

Assim daremos nossa contribuição para que a sociedade não seja solapada de vez com a perversão dos princípios universais e criacionais estabelecidos por Deus para o nosso bem e para a sua glória. E não se esqueça: família redimida, somente debaixo do senhorio de Cristo!

Pr. Charles

3 comentários:

SETEQUE disse...

Creio que todos os critãos entendem o que o Pastor diz. O problema é: como levar o evangelho aos homosexuais? Como ampará-los no dia a dia de angústia na luta interna contra um problema tão sério? Como aprumar essas almas e como mantê-las no prumo?
Como colocar em prática a teoria?
Como salvar essas almas?
Graça e paz.
Deus abençoe esse trabalho.

Victor Silva disse...

Graça e paz irmão. =)

Me desculpe estar lhe falando sobre isso aqui, por um comentário. Mas rogo encarecidamente ao irmão, que nos ajude a divulgar um texto intitulado "Manifesto Cristão" que vai no link abaixo.

http://aounicodeusverdadeiro.blogspot.com/2011/07/manifesto-cristao.html

Ele é apenas uma adaptação de alguns textos de vários autores Cristãos. A intenção é apenas levar esta palavra ao maior número de pessoas possível. Isso é um manifesto contra o evangelicalismo moderno, que tem enganado muitas pessoas e desonrado ao nosso amado Senhor Jesus.

Leia o texto, e se achar pertinente postar em seu blog, ficarei imensamente honrado e agradecido. Se conhecer outras pessoas ou blogueiros que possivelmente se interessariam em divulga-los, seriam maravilhoso também. Se você não quiser, não precisa citar fonte nem nada desse tipo. Só a publicação do conteúdo, para o conhecimento de mais pessoas, já seria uma benção sem tamanho. Do contrário, sua leitura dele, já me deixará muito contente.

Desculpe qualquer incômodo. Desde já, grato pela atenção. =D

Pode apagar esse comentário.

Victor Silva

Charles Melo disse...

Caro Seteque,

Paulo escreveu a Timóteo: "prega a Palavra, insta, exorta, corrige, quer seja oportuno, quer não". Não penso que pregar a homossexuais exige um método diferenciado. A palavra sozinha é poderosa para transformar uma vida. Paulo disse que o evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê. Eu costumo ensinar na minha igreja que um homossexual que ali entrar deverá ser recebido com todo amor, receber uma Bíblia para acompanhar o culto e não deve ser tratado como um estranho ou sub-humano. A igreja também funciona como um hospital onde as pessoas vão para tratar suas chagas espirituais.
Lembre-se que a nós cabe a proclamação. Ao Espírito Santo o convencimento e a vocação eficaz. Então basta pregarmos. Deus soberanamente fará o resto. Depois da conversão, o ex-homossexual deverá ser discipulado e orientado a deixar a prática do homossexualismo que fere aos princípios bíblicos. Deverá ser orientado a lidar com perseverança com seus impulsos pecaminosos, como outra pessoa qualquer. Deverá ser instruído a santificar-se.

Abraço!