Subscribe Twitter Twitter

11 de agosto de 2011

Ser Pai


Certamente, sempre haverá coisas no mundo que fascinam, mesmo porque a Terra está cheia das riquezas do Senhor. Belezas naturais, lindas praias de areia branquinha e águas cristalinas, lindos cenários de altas montanhas alternadas por vales profundos cheios de orquídeas e outras plantas exóticas, a vida, a saúde, o bem-estar, estar acompanhado de quem amamos e gostamos de ter por perto. Hoje eu gostaria de destacar algo que fascina de modo profundo a alma de um homem: ser pai.

Ser pai é ver a vida se transformar ao ouvir o primeiro choro do primeiro filho. Ser pai é pensar: “a partir de agora uma vida indefesa dependerá de meu esforço e proteção”. Ser pai é saber que terá de sair de madrugada para levar o filho no médico, e fazer isto sem a menor preocupação com a noite mal dormida. Ser pai é ver os filhos brincando e se aproximar para fazer parte da farra. Ser pai é ver os olhinhos brilhando dizendo: “você é lindo!”; “você é forte!”. Ser pai é saber de tudo um pouco. É ser dicionário, enciclopédia, consultor de entretenimento televisivo e cinematográfico, lutador de boxe, guindaste da alegria infantil, parque de diversões, lançador de desafios, criador de frios na barriga, herói nos assaltos à geladeira escondido da mamãe, realizador de sonhos.

Ser pai é fácil. Ser pai cristão é difícil. Ser pai é botar filho no mundo. Ser pai cristão é ser exemplo de vida com Deus aos filhos, é ensinar-lhes a Palavra de Deus ao deitar, ao levantar, andando pelo caminho e exercendo a disciplina. Ser pai é falar o que der na cabeça; ser pai cristão é controlar o linguajar para edificar os filhos. Ser pai cristão é ir à igreja assiduamente e zelar para que os filhos também o façam. É orar com os filhos quando eles se vêem atemorizados pelos “bichos da noite” e pelas provas finais. É fazer culto doméstico trazendo maturidade espiritual e crescimento à família. Ser pai cristão é ser amigo, confidente, digno de confiança e respeito. É rir das piadinhas sem graça; é chorar de preocupação diante dos perigos das más companhias e da violência desse mundo.

Ser pai cristão é reconhecer que a graça de ter quem te chame de “papai” ao seu redor é obra do Pai celestial. A graça nos faz gerar filhos, realizar-se com o crescimento e progresso deles. Mas ser pai cristão também é refletir sobre o Pai celestial. O pai cristão é falho; o Pai celestial é santo, perfeito e justo. O Pai celeste amou rebeldes e delinqüentes que o provocavam à ira. Os amou tanto que os escolheu para serem seus filhos adotivos. Para ter os filhos adotivos amados debaixo da sua graça, o Pai celeste deu a vida do único Filho, o eternamente gerado, o eternamente amado e motivo de todo o seu prazer. Este foi reconhecido como figura humana, fez-se filho maldito porque sofreu a cruz maldita em nosso lugar levando sobre si o nosso pecado. Morreu naquela cruz terrível sofrendo a ira do Pai celeste sobre o pecado. Viu-se separado dele a ponto de bradar: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”. Mas depois do pior momento, voltou a sentir o consolo do Pai e entregou sua vida através de uma declaração solene: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”.

Foi assim que o Pai celeste nos fez seus filhos, benditos, herdeiros e co-herdeiros com Cristo. Sua vontade é que sejamos pais amorosos, ainda que jamais alcancemos a grandeza do amor do Pai celeste. Que reflitamos a luz do caráter do Santo seguindo o seu modelo de paternidade. Que jamais abramos mão do privilégio do contato com os filhos. Que eles aprendam conosco a ser filhos obedientes a Deus e não venham a aprender com maus exemplos de maus professores informais. Que sejamos pais que participam do processo de crescimento e educação, sem nos omitir. Assim a glória do Pai celeste brilhará através de nós.

Pr. Charles

17 comentários:

Ana Carolina disse...

Lindo texto, mais do que apropriado para o Dia dos Pais que se aproxima... aliás, apropriado para toda vida, pois remete ao Pai celeste e à nossa adoção como Seus filhos amados pelos méritos de Cristo.
Sou mãe a pouco mais de 1 mês... consequentemente, meu marido é pai de 1ª viagem tbm. Já postei este artigo no FB dele! rsrs
Abraços fraternos

Presb. Eduardo Oliveira disse...

Artigo muito edificante ! Que Deus o abençõe.

Naziaseno disse...

Texto belo e fascinante. Você reproduzui em palavras escritas o sentimento que norteia o coração paterno. Somos pais imperfeitos, porém vivemos na luz da perfeição do Pai Eterno. A nossa tarefa é criar os nossos filhos sob o calor da Luz que cria, refaz, molda - gera vida. Emcubadora de sonhos, projetos que nos levam a viver na perspectiva de trazer a Glória de Deus para o mundo. Belíssimo texto!

Suenia disse...

Lindo texto, Charles!

Como é bonito o depoimento de um pai que tem a coragem e a ousadia de se submeter ao exemplo de amor que Deus nos apresenta através de seu filho, Jesus.

Parabéns pelo dia dos pais!

Saudade da sua família linda!

Bjão
Suh

Alan Kleber Rocha disse...

Grande Charles,

Parabéns pelo post! Que Deus nos conceda a graça da verdadeira paternidade cristã.

Grande abraço,

Alan

nathalia heringer disse...

Deus te abençoe!!
que Deus possa te usar para falar aos pais que tem andado tao negligentes ao seu real papel de pai cristao

abracó: nathalia

Milton Jr. disse...

Excelente Charles. Belíssimo texto. Já sabe onde vai parar né? claro que no boletim de domingo.. rs.

Augusto Rocha Jr disse...

Pr Charles,

Que texto maravilhoso e oportuno!
Que Deus visite os corações dos pais para que muitos reflitam sobre o honroso papel que nos foi dado.

Abraços,

Augusto (IPA/Sergipe)

Charles Melo disse...

Ana Carolina,

Parabéns pelo primeiro filho! Que Deus abençoe ricamente a sua família! Obrigado pelas palavras!

Abraço!

Charles Melo disse...

Presb. Eduardo,

Obrigado!

Abraço!

Charles Melo disse...

Naziaseno,

Que Deus nos oriente e encoraje na tarefa de refletir seu caráter em nossa paternidade! Obrigado!

Abraço!

Charles Melo disse...

Suênia,

Obrigado pelo elogio. Vindo de você, então, uma pessoa tão inteligente e hábil com as palavras... sinto-me profundamente honrado!

Abraço!

Charles Melo disse...

Alan,

Obrigado! Não é fácil ser pai cristão, mas é no0sso dever! Afinal, nossos pequenos observam nossos exemplos e os seguem, sejam bons ou ruins.

Abraço!

Charles Melo disse...

Nathalia,

Obrigado! Estarei sempre à disposição! Estamos ansiosos pela ida a Gov. Valadares.

Abraço!

Charles Melo disse...

Milton,

Muito desse texto tem a sua pena! Obrigado!

Abraço!

Samuel Vitalino disse...

Shampoo,

Excelente texto. Como eu não tenho mais pai vivo, restou verter uma lágrima de saudade.

Abraço,

Shirley Mattos disse...

Temos muitos textos e meditações falando do que é ser mãe e da sensibilidade da mãe, mas falando sobre o pai creio eu ser bem menos. Pastor parabéns pelo belíssimo texto!