Subscribe Twitter Twitter

18 de outubro de 2010

A Reforma Começa em Casa II

Após publicar o último post recebi alguns e-mails e comentários de mulheres que vibraram com a foto do homem lavando a louça e com o signicado de viver a vida comum do lar; e, claro, algumas reclamações da minha própria classe pelos mesmos motivos (http://bibliacomisso.blogspot.com/2010/09/reforma-comeca-em-casa.html). Sendo assim, resolvi abordar agora os outros seis versículos do texto, I Pedro 3:1-6.


Ser homem, já vimos, é difícil. Pois sendo um homem segundo a Bíblia fará com que a mulher ame o fato de ser mulher e os princípios aqui apresentados serão facilmente aceitos pela parte mais frágil.

Mas o problema para a mulher crente é que nem sempre ela encontrará maridos totalmente fiéis ao modus operandi do homem segundo a Bíblia, e ainda assim, precisam submeter-se a ele, como regra básica do relacionamento a dois (isso me habilita a escrever um terceiro post nessa série, sobre como as moças devem procurar um marido para elas – aguardem).

Por agora, olhemos para o que Pedro ensina às mulheres:

I – Submissão Sob Qualquer Circunstância (1)

O primeiro verso pode parecer chocante; e é. Mas precisamos algumas orientações nesse texto para não corrermos o risco de dizer algo que ele não diz. Lógico que o texto se aplica a maridos descrentes também, mas não necessariamente, vou explicar:

Pela continuação do texto, parece melhor interpretar que os maridos são crentes mesmo, mas crentes que não estão vivendo como deveriam (ver o exemplo de Sara no V.6). Entretanto, mesmo que sua compreensão seja que se refere a incrédulo, não significa a possibilidade do casamento misto, antes, ao contrário, mostraria o terrível remendo necessário nessa hipótese (o mesmo ocorre em I Coríntios 7).

II – Maneira Piedosa de Proceder (1-4)

Mas o ponto do texto é mostrar como proceder. A Bíblia não se preocupa apenas em ordenar, mas em ensinar – por isso é nossa regra de fé e prática; como, então, devem as mulheres procederem com os seus maridos? Eis aqui o que diz a Palavra:

Ter sabedoria com as palavras. O marido deve ser ganho sem palavra alguma. Ao contrário do que muitas mulheres tentam fazer passando sermões a cada instante, a sabedoria bíblica aponta para uma atitude de quietude, paciência e oração;

Ter um procedimento piedoso. O marido será ganho ao observar o bom procedimento e honesto comportamento da esposa. Mesmo a despeito do que inverso ensinado pela sociedade. Que a mulher deve fazer ciume e buscar experiências, a Bíblia aponta para a santidade na vida como arma para o casamento. (Ver ainda o v. 4 – Seja o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus).

Ter modéstia no vestir. Mais uma vez desafiando o padrão secular, Pedro ensina as mulheres que não é o adorno da esposa, que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro e aparato no vestuário. Precisamos notar que Pedro não proíbe essas coisas, como alguns podem sugerir, mas ele limita o uso delas a não suplantar a vida piedosa, o que por si só, já diminui o sensualismo com que as mulheres buscam se vestir.

III – Exemplos do Passado (5,6)

Finalmente, o texto termina mostrando experiências bem sucedidas; mostrando que o que Pedro sugere aqui já foi testado e aprovado, inclusive biblicamente. Assim foram as santas mulheres que esperaram em Deus, estando sempre submissas ao seu próprio marido, como fazia Sara, que obedeceu Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós vos tornasses filhas, praticando o bem e não temendo perturbação alguma.

Como acabamos de ver, ser mulher também não é fácil depois da queda, ainda mais sendo a parte mais frágil, dificulta ainda mais a sua vida. Por isso é que temos abordado o tema da família, pois quando homens e mulheres, pais e filhos estiverem vivendo de acordo com os padrões de Deus, não apenas serão felizes, como deixarão um legado para a próxima geração, bem diferente do que a nossa recebeu. Sigamos avante, pois A Reforma Começa em Casa.

44 comentários:

Tiago Cesar disse...

Pois é... É triste ver como ao longo dos anos o mundo tem cada vez mais influenciado tanto homens, quanto mulheres, em lugar da Palavra de Deus.

Uma das questões que eu acredito estar entre as mais difíceis diz respeito à relação das funções bíblicas das pessoas com seus modos atuais de pensar. Parece que o mundo nos alienou de tal forma que o conselho de Paulo é urgente para nós (Rm 12.2).

Acredito que para que a reforma em casa se efetive, antes de mais nada, é necessária uma reforma a nível individual no coração do crente, no centro de suas motivações. Sem a transformação de nossas mentes acho que será difícil modificar nossas atitudes...

Parabéns por sua preocupação com as famílias. E que Deus abençoe a sua! Abração!

Alfredo de Souza disse...

Geléia.

Muito boa a postagem. Lembro que as mulheres (assim como os homens também) devem ser atraentes e não sensuais em sua maneira de vestir.

Abraços.

george disse...

Uma reflexão precisa sobre o tema.
A "vida comum" do lar não pode se tornar uma "coisa comum", como se tem visto hoje em dia. Mulher virtuosa é algo muito especial.
Isso agrada a Deus e edifica o lar.
George

Samuel Vitalino disse...

Caro Tiago,

O texto é muito propício mesmo. Obrigado pela sua participação e pela boa lembrança que tudo começa com a gente mesmo.

Abraço,

Samuel Vitalino disse...

Ogro,

Bem lembrado. A beleza e a sensualidade são duas coisas distintas.

Por falar em beleza, como você está? hehe

Saudade,

Samuel Vitalino disse...

Grande George,

Depois de ler sua participação eu reli Pv. 31.

A Patrícia parece que foi a musa daqueles versos. Que grande bênção de Deus é esse valor que excede em muito as finas jóias.

Grande abraço e até breve,

Ligian disse...

Como já disse meu filho mais velho, quando tinha 5 anos: "é muito difícil ser crente!"! Como é difícil compreender (às vezes, não sempre) a grandiosidade da perfeição do Senhor e de seus planos em todas as áreas. Acabamos por enfatizar as "grandes coisas" (se é que podemos fazer essa separação), quando Deus nos dá diretrizes, inclusive, para as "pequenas coisas" do nosso dia a dia, do nosso conviver.
Obrigada por essa lembrança de que Deus tem o melhor projeto e de que, se o seguirmos (nas coisas diárias), seremos felizes!
Às vezes, precisamos disso: apenas lembrar!

Charles Melo disse...

Samuel,

Gostei de seu post. Eu lavo louça todo dia e nem por isso minha mulher deixou de ser submissa (eheh). A sensualidade tem que ter seu lugar e expressão na hora certa e com as pessoas certas: marido e mulher em sua intimidade. Uma vez um homem, ao ser abordado pelo pastor sobre a vestimenta sensual que sua esposa usava comumente na igreja, respondeu: "mas eu gosto de vê-la assim". O pastor respondeu: "O marido deve gostar mesmo de ver sua esposa assim, mas somente dentro da intimidade do casal".

Abraço!

Anônimo disse...

Rev Samuel, Na sua mensagem em Habacuque falou que Deus condena com um AI o sensualismo. Obrigado por repetir esse tema.
Quando você voltará aqui no Ceará?

Samuel Vitalino disse...

Caros Ligian e Charles (Shampoo),

Vocês são um casal todo especial. Saudade docês.

Anônimo,

Obrigado pela lembrança. Gostei muito de Parambu. Espero poder voltar aí qualquer desses dias.

Dorisvan Cunha disse...

POst excelente...como sempre, vc conseguiu expor de maneira simples a profundidade e a complexide do papel que a mulher deve assumir enquanto parte integrande do pacto familiar.
O tema é urgente e necessário, posto que nossa coletividade histórica está corroída pelo abandono de tais princípios. Parabéns, pr. Samuel e que as famílias continuem sendo abençoadas através de sua vida.

Anônimo disse...

Muka, muito jóia esse material e a linguagem usada. Gostei bastante!Beijo em Tiça! Mirian

Anônimo disse...

Pastor Samuel,

O que o Sr. vai tratar no próximo post tem haver com a corte?

Já ouvi que sua opinião é muito interessante sobre esse tema e queria saber direitinho como o Sr. pensa.

Adelaide Almeida
Timon-MA

Samuel Vitalino disse...

Obrigado Doris e Mirian,

Adelaide,

Aguarde o próximo :) eheheheh

Espero começar a esboçar nosso pensamento aqui,

Grande abraço,

Teologia Reformada disse...

Assim como o primeiro da série, um excelente post. Recentemente, Samuel veio pregar em minha igreja e, estando em minha casa, uma grande preocupação dele era fritar ovos e lavar pratos para não dar demasiado esforço e trabalho à minha esposa, dando um vívido exemplo daquilo que escreveu nesse post(obs.: o ovo frito dele é delicioso kkkk). Sem dúvida, a reforma da igreja começa em casa. Não poderemos ser bons cristãos, se não formos bons maridos.

Jefté disse...

Obs.: o comentário do Teologia Reformada é meu, Jefté.

Samuel Vitalino disse...

Jefté,

Suas palavras me alegram. Foi muito bom ser recebido por vocês com todo carinho de sua casa. Vocês formam uma linda família...

Até o Chokito (Único poodle PhD em em Apólogética em Westminster que conheço), mas que pena que ele é Clarckiano. Vou convertê-lo ainda.

Quanto a você.... está na hora de "encomendar" a criança, não? :)

Forte abraço,

Naziaseno disse...

a singularidade desse artigo dar-se diante da problemática que o assunto expõe: viver em submissão àquele que não obedece à palavra orientada por Paulo no capítulo anterior, ou seja o marido que não busca em Cristo o exemplo do seu viver e a aplicabilidade desse fato em família. Concordo, então, com você que esses maridos eram crentes, porém deficientes quanto à conduta (no texto Paulo se refere aos não crentes como "gentios" (2.12). Pedro ensina que o melhor maneira da esposa levar o marido insubmisso à Palavra é sendo ela mesma um exemplo de submissão a ele (ao marido). É esse o desafio!

Anônimo disse...

Estamos no aguardo do próximo.
Mocidade de Colatina.

Anônimo disse...

E que Deus nos ajude a seguirmos conforme os principios bíblicos! Amo ser mulher! hehehehehehe Deus continue te abençoando com esses textos! Bjs
Rose Anne

Milton Jr. disse...

Samuel,
Mais um belo post.
Há bênçãos do Senhor para a família da Aliança, para o casal que entende seu papel diante dele.
Que sejamos assim em nossos lares.

grande abraço.

Samuel Vitalino disse...

Naziazeno,
Como sempre brilhante participação. Aliás, gosto muito dos seus posts no seu blog também e indico aos nossos amigos.

Anne,
Você dizer isso é um excelente testemunho do Léo :).

Milton,
A Poliana que o diga.

Grande abraço.

Ronaldo Cadena disse...

As vezes pra se conseguir a submissão das mulheres em casamentos, eu preciso trabalhar muitos aconselhamentos, agora com essa exposição...vou imprimir e destribuir para os casais da igreja toda.rsrsrsrsrsr.
Parabens.
Execelente Post.
Deus continue dando sabedoria.

Samuel Vitalino disse...

Ronaldo,

Desse jeito eu vou terminar acreditando :) hehe

Abraço,

Anônimo disse...

Samuel,
tudo bem? Gostei muito do texto, especialmente da parte da sabedoria com o palavreado feminino e do procedimento piedoso. No entanto, muitos casais cristãos gozam de uma condição sócio-econômica melhor que a de muitos, e diferenciar a avareza e até a sensualidade da piedade para a mulher nesse caso é muito difícil, pelo menos na minha opinião Gostaria, também, de dizer que eu tenho um posicionamento de submissão que não sei se é o seu. Para mim, a submissão é parecida com o que diz Luís de Camões,que o amor "é servir a quem vence o vencedor", ou seja, não é que a palavra do marido é superior, e sim que o amor conjugal inspira a mulher a querer satisfazer a vontade do marido, pois na felicidade de um, está a do outro.
Desculpe se fui longo, mas sabe eu sou um apaixonado por detalhes, acho que enriquecem a vida da gente XD
Um abração do seu primo,
Daniel

Samuel Vitalino disse...

Daniel,

Há uma grande e perigosa tendência da relativisação de Proncípios para a acomodação de circunstâncias nos nossos dias pós-modernos.

A avareza e a sensualidade (fora do ambiente do casal) são pecados - isso é absoluto independente das dificuldades financeiras ou padrão social.

Sobre a submissão, devidas as proporções, há a mutualidade no serviço (Ef. 5 fala sobre isso), mas nenhuma resciprocidade redime o homem da sua responsabilidade final em todas as coisas.

Obrigado por ser detalhista :) enriquece o debate.

Forte e saudoso abraço,

Samuel Vitalino disse...

Ahhh, sim, esqueci de falar...

Cafezinho,

hehehehe :)

Anônimo disse...

Samuel,

Acredito que submeter-se ao esposo é amor e proteção de Deus em nossas vidas.

Eva Evangelline

Carol disse...

Olá Rev. Samuel
Muito edificante esta série que se iniciou sobre a família e os devidos papéis estabelecidos na Palavra do Senhor!
Inclusive, vou usar estes artigos em aconselhamentos de casais.
Aguardo os próximos!
Que Deus continue a abençoá-lo como um instrumento abençoador!
Abraços

Samuel Vitalino disse...

Evangeline,

Proteção e provisão são dois requisitos básicos do bom marido cristão.

Carol,

Fico feliz de poder ajudar. Em aconselhamento sugiro leitura de alguns bons livros publicados pela NUTRA, caro não conheça, vale a pena conferir.

Abraço,

Anônimo disse...

Eu sou muito suspeito em postar um comentário, pois como todos sabem eu sou fã de carteirinha dos artigos escritos pelo Pr. Samuel. E como não poderia deixar de ser esse artigo muito tem ajudado em meu lar, minha esposa que o diga Rs,rs,rs. Tenho mudado meus conceitos "machista de cabra da peste" para ser um melhor e mais dedicado esposo.
Abraço,

Anônimo disse...

Assinado: Hipólyto Daniel Tenório Cavalcante

Alan Rennê disse...

Samuelzão...

Rapaz, quando estudava a passagem em questão, sempre pensei que o mesmo não falava de marido descrente. Como é bom ver que estava acompanhado de um um gigante de tal magnitude nessa questão! rsrsrs... Falando sério, minha sincera oração é que as famílias cristãs se deixem guiar apenas por aquilo que a Palavra de Deus determina. Um dos grandes problemas de muitas famílias em nossas igrejas, é que elas acabam fazendo uma espécie de síntese entre os princípios escriturísticos e o zeitgeist (o espírito da época). Uma evidência disso é o número de mulheres que facilmente se ofendem ao ouvir falar da submissão bíblica. O mesmo se dá com homens crentes que incorporam conceitos apóstatas ao seu ideário familiar.

Que Deus ocntinue dando-te sabedoria!

Um abraço!

Anônimo disse...

De fato a reforma começa em casa, começando pela vida do líder da casa em dar um bom testemunho vivendo o verdadeiro cristianismo de modo que este não venha se envergonhar por falta de assumir um estilo de vida pautada no evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Pelo contrário, o líder é aquele que não impõe, mas adquire respeito por sua conduta ser irrepreensível dentro e fora do lar. O líder é aquele que conduz sua família com amor, transmitindo graça e segurança no aprendizado das escrituras.
Infelizmente o que está acontecendo hoje, é a falta de compromisso, de obediência do líder da casa para com Deus, com as coisas concernentes a Deus. O secularismo, o hedonismo a negligência invadiu os lares de modo que estes lares deixaram de resplandecer a Glória de Cristo, e passaram a definhar, a apatizar em sua espiritualidade.
Oxalá essa Reforma começasse agora dentro de casa, para que dentro da igreja percebesse o exalar do bom perfume de Cristo, e não a morbidez que tem assolado o seio da igreja.
Que Deus segundo a riqueza de sua infinita misericórdia abençoe sua igreja, de modo que essa possa fazer a diferença no meio dessa sociedade perversa.
Abraço Rev. Samuel
Em Cristo,
Ainadabe.

Samuel Vitalino disse...

Hippus (Cara de Cavalo)e Alan René,

Obrigado pelos comentários carinhosos, eles são atribuidos ao valor de nossa amizade.

Ainadabe,

O caminho é esse mesmo. Obrigado pela participação.

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Rev Samuel

Parece que nenhuma feminista leu o teu artigo, senão tu iria levar pedrada de quina! rsrsrsrs

Parabéns pelo edificante texto. Deus continue usando com sabedoria e fidelidade.

Samuel Vitalino disse...

Elas leram, é que eu não publico os comentários hehehe :)

Brincadeira... O contraditório sempre será bem vindo e respeitado - mas discutido à luz da Palavra ;).

Grande abraço, Toka!

Carol disse...

Olá Rev. Samuel
Eu de novo...rsrs
Agradeço pela sugestão dos livros da Nutra. De fato, temos lido muitos livros e, dentre eles, vários da Nutra (O Rev. Jônatas Abdias passou uma lista extensa de leituras...rsrs). Atualmente, estou lendo Instrumentos do Paul Tripp e Vícios do Ed Welch.
Aproveitando o ensejo, vi em um dos comentários do sr. a palavra "hedonismo", o que viria a ser isso? Obrigada! Abs fraternos.

Samuel Vitalino disse...

Hedonismo é uma teoria muito parecida com o existencialismo. É um culto ao prazer!

A idéia do Carpe Diem. Biblicamente é a denûncia de Paulo: "comamos e bebamos, pois amanhã morreremos".

Grande abraço e mais uma vez, obrigado,

Carol disse...

Eu quem agradeço pela rápida resposta!
"Aproveite o dia!"... ops, aí não...rsrs
Abraço!

Anônimo disse...

Bando de pastores reacionários que escrevem nesse blog. Depois tentem pensar na diferenca entre voces e os talibans. Nao encontrarao muitas. Deviam pensar melhor no que é o cristianismo. Que todos sejam traídos pelas suas mulheres. É o meu desejo.

Samuel Vitalino disse...

Anônimo,
Pelo reacionários, obrigado. Somos mesmo. E queremos separar o cristianismo de gente que se diz cristã e fala do jeito que você fala:
1. Sem coragem de assinar e mostrar o rosto;
2. Que deseja o mal dos outros, tão diferente doexemplo deixado pelo Mestre;
3. Que joga palavras ao vento, como se de alguma forma isso trouxessealgum benefício.
Espero em Deus que se arrependa.

fala-serio disse...

Se submeter ao marido é um exercício que as mulheres em geral praticam com naturalidade, gostando ou não, pela própria condição, ainda mais se essa mulher é "Presbiteriana" rrssss.
O problema é a servidumbre, maltrato e humilhações à que muitas mulheres são submetidas em nome dessa "submissão irracional" que tomou conta da sociedade, sendo necessária uma entidade que ajude a mediar situações extremas, "Lei María da Penha".
O Segredo é o Amar.

Samuel Vitalino disse...

Fala Sério,
É fato que amando como Cristo amou a Igreja a mulher se submete com muito mais gosto.
Mas o grande desafio é que tanto liderar quanto submeter (homem e mulher) tem suas dificuldades, e tanto ele quanto ela precisam se empenhar em assumir seus papeis apesar dele ou dela.