Subscribe Twitter Twitter

9 de maio de 2011

A Igreja Contra-Ataca

darth-vaderNOVO Estamos em guerra! A família está sob o maior ataque da história, especialmente no Brasil. Leis heterodoxas foram ou serão aprovadas por meio de táticas que lembram as estratégias militares.

Contra a família estão unidos todos os poderes conhecidos, incluindo os tradicionais Poderes da República que estão nessa frente de batalha de uma forma contundente. Todos de mãos dadas aprovando, sancionando e criando leis que degeneram a estrutura familiar. Outros poderes também se engajam nessa luta que, para nós, parece inglória, apenas parece.

Também a mídia (conhecida como o quarto Poder) assume clara liderança nessa campanha. Não apenas por tentar manipular tendenciosamente a opinião pública, mas também por filtrar e adaptar as informações como lhe convêm. São verdadeiros criadores de sofismas e bravatas veiculados nos noticiários, nas entrevistas, nas novelas etc.

Mancomunada a estes poderes impressionantes, encontra-se a igreja corrompida. Muitos defendem que não vale à pena lutar contra a tendência degeneradora dos nossos dias, ao contrário, deve-se apoiá-la como se isso fosse uma atitude mais inteligente.

Aqui é necessário que eu me posicione contrário a toda essa situação degradante. Discordo veementemente contra as armas usadas para destruir a família, sendo que uma delas foi disparada na semana passada, tendo sido aprovada pelo Supremo Tribunal Federal. Vejamos quais são as atitudes destrutivas:

1. União Estável entre pessoas do mesmo sexo.

Foi aprovado no STF, ainda que não possibilite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o reconhecimento da união homossexual como tendo o mesmo status de casamento heterossexual.

A questão aqui não é o que as pessoas fazem das suas vidas, mas a abertura para que isso seja considerado normal, ainda que a mais elementar lógica nos mostre o contrário. Apenas como exemplo, jamais dois homens ou duas mulheres poderiam gerar filhos, mas essa lei humanista acaba por permitir aquilo que é naturalmente impossível pela lei divina.

2. PL 122 – Lei da Homofobia.

Nesse mesmo sentido virá a Lei da Homofobia. Talvez não seja encontrado em outro lugar nesse mundo espaço para tantas contradições. Em nome da liberdade, promovem a mordaça; em nome da tolerância - a intolerância; em nome do amor - o ódio.

Não há respeito sequer às cláusulas pétreas contidas na Constituição (que já foi chamada de Constituição Cidadã), pois a liberdade de expressão, de culto e de crença está para ser extinta. Entretanto, não nos calaremos. Ao contrário, leremos e pregaremos a Bíblia, chamaremos o pecado de pecado, ainda que isso nos custe a própria vida ou a intolerância da massa.

3. Proibição da Palmadinha.

Querem ensinar como educar nossos filhos. Se a Bíblia diz que devemos disciplinar com a vara, para não perdermos nossos filhos, eles proíbem, achando que estão fazendo um grande bem às crianças.

Não estamos dispostos a obedecer a essa regra, ainda que seja sancionada pelas maiores autoridades do país, pois afrontam a única fonte de autoridade do mundo, uma vez que todos estão debaixo do Senhorio de Cristo. Portanto, nossos filhos continuarão a receber a disciplina com vara, pois antes importa obedecer a Deus do que a homens.

4. Proibição da Educação no Lar.

A proibição da educação no lar é o maior absurdo jamais visto. Trata-se de uma arbitrariedade que também precisa ser desmascarada, pois eles querem ter o controle absoluto da mente dos nossos filhos.

Todas as filosofias e sutilezas humanistas são ensinadas aos nossos filhos nas escolas por cosmovisões contraditórias que tentam destruir a única Verdade sem contradições.

Mesmo que aqui haja apenas a ponta do iceberg, certamente haverá resistência. Não pensem que marcharemos nas avenidas ou nos prédios públicos empunhando bandeiras coloridas, ou aos gritos como se essa guerra pudesse ser perdida. Não, ela não pode ser derrotada. Lembremos que enquanto Os Príncipes conspiram contra o Senhor... O Senhor zomba deles... e no Seu tempo há de falar e confundi-los (Salmo 2:1-6).

Ressalto que o presente texto não foi escrito como se a batalha já estivesse perdida. Essa guerra será vencida pela Igreja verdadeira, afinal de contas, as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mateus 16).

Nunca fecharemos a Bíblia, nunca poderão calar a nossa boca. Ensinaremos os nossos filhos por meio da disciplina que utiliza a vara do amor. Pregaremos a Palavra que declara o homossexualismo como pecado e ensinaremos a todos que Deus estabeleceu a união entre um homem e uma mulher como o único e verdadeiro matrimônio.

O Niilismo decreta a morte de Deus; alguns deliram na hipótese dele estar certo (Richard Dowkins - Deus, Um Delírio), mas inculcando-se por sábios, se tornam loucos em seus próprios raciocínios... insensatos e a conseqüência disso é a desonra do corpo em libertinagem generalizada (Romanos 1:18-32).

Concluo afirmando que a presente resposta é baseada apenas no amor, no verdadeiro amor. Nossa base está no mesmo Salmo onde é dito que o Senhor zomba dos inimigos por causa da conspiração e, ao mesmo tempo, é proclamada a Palavra para aqueles que atacam as bases da nossa fé. Não há desespero por parte do salmista que se levanta no meio dos inimigos e diz: Sejam prudentes Reis, (Presidentes) e se deixem advertir, juízes da terra. Temei ao Senhor. Sintam tremor diante dele... pois haverá um dia em que a sua ira se manifestará (Salmo 2:10-12). Nesse dia, cada um responderá pelos seus atos contrários àquilo que está estabelecido por Deus na Criação.

Nosso papel, como Igreja do Senhor, é manter firme e ousadamente essa declaração, sabendo que em tudo seremos atribulados, mas jamais angustiados; em tudo seremos perplexos, mas nunca desanimados; em tudo seremos perseguidos, mas em nenhuma hipótese desamparados; poderemos até ser por algum tempo abatidos; mas nunca seremos destruídos (II Cor. 4:8,9).

Pelo Reino,

Samuel Vitalino

99 comentários:

Anônimo disse...

Vamos à luta, companheiro!
Precisamos dessa coragem, Pastor,
Sem. Mauro

Pr. Weligton Marques disse...

GRANDE SAMUEL RECEBA OS MEUS SINCEROS VOTOS DE APRECIAÇÃO POR ESSE ARTIGO.
DIANTE DA REALIDADE CAÓTICA CONTRÁRIA AOS PRINCÍPIOS ESTABELECIDOS PELA PALAVRA DE DEUS DEVEMOS CONTINUAR FIRMES LUTANDO PELA VERDADE DE DEUS.
QUE DEUS O ABENÇOE E CAPACITE NESSA ÁRDUO E PRAZEROSA TAREFO E CONTE COM ESSE SEU AMIGO NO QUE PRECISAR!!!
Pr. Weligton Marques

cristianismo-relevante disse...

Caro Samuel

Importante alerta e análise dos fatos contemporâneos. Usei o texto do Salmo 2 e falei a mesma coisa para a Igreja. Ainda que todos os poderes se levantem contra Deus e sua Palavra, Ele ri-se deles. Guardemos nossas esperança naquele que a dá e guarda.

Anônimo disse...

Olá Pastor Samuel,

Excelente Artigo.

Que Deus nos torne cada vez mais humildes, nunca covardes.

Abraço,
Erysvaldo - Teresina -PI.

AFA Neto disse...

Caro amigo Samuel,
partindo de um teólogo e jurista de exímia competência como voce, as ponderações precisam ser levadas em conta.
Que o Senhor continue abençoando a sua vida.
Abraço

Solano Portela disse...

Caro Rev. Samuel:

Excelente post, ainda que eu considere que a injusta proibição à educação no lar (homeschooling) seja questão secundária e menor do que as que a precedem - essas, sim, claramente contrárias não somente às Escrituras, mas à lógica e à estrutura da sociedade respeitada até pelos que não temem a Deus. Vivemos tempos tenebrosos e as coisas acontecem enquanto dormimos...

Abs

Solano Portela

Anônimo disse...

Excelente Artigo Pastor.

Que Deus nos torne cada vez mais humildes, nunca covardes.(2)

*no texto ...mas nunca seremos destruídos (II Cor. 3:8,9)na verdade é II Cor 4.
Abs
Luciano Martins
Vitória ES

Samuel Vitalino disse...

Luciano,

Já resolvi o problema do texto. Obrigado.

Anônimo disse...

Caro Pastor Samuel,

Diante de um comentário esclarecedor e corajoso
gostaria de dizer que embora pareça obvio, é hora da igreja colocar-se em oração diante do momento tão difícil.
Abs
Roseane Lima

Alexandre Ribeiro Lessa disse...

"Nunca fecharemos a Bíblia, nunca poderão calar a nossa boca. Ensinaremos os nossos filhos por meio da disciplina que utiliza a vara do amor. Pregaremos a Palavra que declara o homossexualismo como pecado e ensinaremos a todos que Deus estabeleceu a união entre um homem e uma mulher como o único e verdadeiro matrimônio."

Excelente artigo. Nessa *luta* estamos todos na mesma fileira.

Abraços,

Alexandre Lessa

Anônimo disse...

Sobre o mesmo tema:

http://reformandohoje.blogspot.com/

Emerson Silva

Anônimo disse...

nós crentes precisamos começar a nos posicionarmos frente a todos esses acontecimentos....jah perdemos demais nos acovardando e nos calando.....

Anônimo disse...

EXCELENTE TEXTO. Os apóstolos em situação muito parecida AFIRMARAM:

Atos. 4.19 Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus...
Atos 5. 29 Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens.
Forte abraç.

Jucelino Souza

Kinha disse...

Samuel,

Extremamente oportuno esse seu post. Creio que o Espírito Santo está promovendo, no coração dos seus servos, uma revolta diante da imoralidade abertamente legalizada no nosso país. Esse foi o sentimento de Paulo diante da idolatria reinante em Atenas (Atos 17). Também acredito que, hoje, a única Instituição que reúne condições para preservar e manter a pureza é a Igreja. A verdade precisa ser dita abertamente nos nossos púlpitos. Oro para que esse artigo desperte os bons soldados de Cristo para o combate. O sua indignação é a minha! Vamos a luta!!!

Rev. Ageu Magalhães disse...

Caro Samuel,

Estamos juntos nessa luta. Deixo aos seus leitores um post que escrevi aqui: http://resistenciaprotestante.blogspot.com/2011/05/estado-laico-pressupostos-e.html

Abraço,
Ageu

Fábio Henrique disse...

Pr. Samuel que Deus continue te abençoando ricamente. Sendo um instrumento em defesa da fé.
Grande abraço

Miss. Itamar Maciel de Sousa disse...

Fico orgulhoso de ter um amigo crente com o Sr. Obrigado pelo manifesto. Subscrevo e faço minhas as suas palavras. Irei compartilhar com a Igreja se Deus quiser.

Anônimo disse...

Pastor, esse post está incrível! Meus parabéns! Vou tomar a liberdade de postá-lo no meu facebook.

Isabelle

Daniel Subkoff disse...

Grande Samuel,
sua paixão e devoção ao Evangelho são muito fortes e dignas de apoio. Eu assino embaixo de tudo o que você disse. Só quero comentar dois tópicos: o primeiro é sobre a proibição da educação em casa. Acho que o Estado não pode proibir isso, mas também creio que o convívio social é melhor que o estudo em casa (não impedindo que a Igreja e a família ensinem os nossos valores). o segundo é sobre a equiparação ao casamento feita no STF. concordo que é antinatural e não se pode equiparar ao casamento, no entanto eles não são crentes e, se ficaram mesmo que erradamente juntos uma vida inteira, não poderiam contar com a mínima proteção do Estado de outra forma que não pelo reconhecimento de efeitos de casamento? Porque afinal de contas a isonomia material e a laicidade do Estado são, também, questões importantes que devem ser abordadas. Eu não sou contra você, primo, mas eu também reconheço que não podemos simplesmente abandonar os homossexuais, até porque a tolerância razoável com eles por nós podem permitir que eles queiram nos conhecer e, como instrumentos de Deus que somos, que eles possam ser salvos pela fé. Sobre a homofobia não tiro um único acento seu!
Grande abraço,
Daniel Subkoff

Marcus Paixão disse...

Já faz tempo que projetos de lei que atacam a verdade divina tramitam no Planalto. No entanto, tenho a absoluta certeza que o Deus que servimos é Aquele que está assentado no trono, e domina sobre tudo, como está escrito no profeta Daniel. Diante de tudo isso, só posso contemplar o salmo 2 (muitíssimo bem lembrado)e ver o Senhor "rindo deles"

Marcus Paixão disse...

Já faz tempo que projetos de lei que atacam a verdade divina tramitam no Planalto. No entanto, tenho a absoluta certeza que o Deus que servimos é Aquele que está assentado no trono, e domina sobre tudo, como está escrito no profeta Daniel. Diante de tudo isso, só posso contemplar o salmo 2 (muitíssimo bem lembrado)e ver o Senhor "rindo deles"

Anônimo disse...

Lamentável, porém não abor mão dos ensinamentos do Senhor, meu DEUS.

Infeliz é a nação que zomba de DEUS.

Prof. Adm. Geazi de Farias

Bem sei isto, que DEUS é por mim.

Alfredo de Souza disse...

Samuca, feliz é aquele que tem fome e sede de justiça. Excelente postagem.

Abraço.

Fernando Jordão disse...

Pastor Samuel

Tenho acompanhado os textos que tanto o sr. quanto os outros pastores deste blog tem postado e tem sido muito bom para a Igreja de Cristo. Minhas orações é que mais cristãos se mostre contra as decisões que mancham a Gloria de Deus. estou com o sr. e juntamente com os irmãos que aqui tem o apoiado. Tanto na escrita, quanto em orações. Deus lhe de sabedoria para alertar e confrontar o mundo que tem tentado se opor a Igreja de Deus.

Pelo Reino

Paulo Sousa disse...

Acredito que no fim do seu argumento o que está em cheque não é a família, mas Deus e a Sua Palavra. 0:26
Quando eles se levantam contra a família, que é instituição de Deus, eles estão se levantado contra o Próprio Deus!

Renata disse...

Samuel,

gostei muito do texto, mas vou deixar uns comentários:

1) União estável: talvez eu seja um pouco romântica... mas minha visão é que como o Brasil, é um país laico, é "aceitável" que homossexuais usufruam dos mesmos direitos legais que nós. Me explico: cristãos e hommossexuais são cidadãos, e se nós cristão temos deveres, e devemos cumpri-los de forma correta, também temos direitos legais. Então, apenas por questões legais, será que eles também não tem direito a isso?
2) Lei da Homofobia: acho que nós crentes devemos tomar muito cuidado pra não ficarmos intolerantes. Na faculdade onde estudo, há mais homossexuais que heterossexuais. Se eu fico intolerante, fica difícil a convivência. Conheço crentes que nem se aproximam dos gays, e sempre penso: Será que Jesus faria isso também?
3) Proibição da Palmadinha: concordo plenamente com sua colocação. Devemos obediência a Deus e não aos homens. Todos nós levamos palmadinhas quando crianças, e não somos pessoas revoltadas e traumatizadas por isso. Pelo contrário, até mesmo os pais não crentes veem isso como uma boa forma de educar. Claro que com amor.
4) Homeschooling: não concordo que as crianças devem estudar em casa. Por duas razões: como educadora, vejo que a interação é imprescindível para qualquer tipo de aprendizado, seja para crianças, ou para adultos. Segundo, porque nossos filhos não viverão isolados do mundo. Em algum momento eles vão sair de casa, vão trabalhar e vão conviver com pessoas que não são crentes, e até mesmo com crentes, mas que muitas vezes não dão um bom testemunho. E como eles vão lidar com essas adversidades? Na minha opinião, isso deve ser solucionado com a oferta de escolas cristãs, que possam nos auxiliar com a eduação dos nossos filhos, segundo nossos valores e princípios que são ensinados e aprendidos ainda na infância. A escola representa a sociedade e nós não podemos privar nossos filhos de viverem em sociedade, ainda que ela não seja a ideal. É preciso que eles conheçam o que é "certo" e o que é "errado", para discernirem o que é "bom" e o que é "corrompível", e se tornem adultos críticos, autônomos e tenham opinião para debater.

Blog de Martorelli Dantas disse...

Caro Samuel,

Paz e Bem!

Foi um prazer ler o seu texto. É bom "ouvi-lo", mesmo que seja assim, por letras.

O seu texto reflete o pensamento presbiteriano e foi escrito no melhor estilo polêmico e conservador, tão ao gosto dos irmãos calvinistas.

Creio mesmo que você pensa deste modo, e que não escreveu o seu texto para ler os muitos comentários elogiosos que já foram postados até aqui. Outros muitos virão, logo, você não se sentirá ofendido por ler este que faz outro tipo de considerações.

Se você fosse súdito de um país confessional, que adota o cristianismo como religião oficial e que faz da moral cristã um paradigma absoluto em suas postulações de conduta e valoração ética, eu aceitaria que tais decisões são absurdas.

Se você, a exemplo do que já ouvi tantas vezes no Supremo Concílio da IPB, estivesse falando das decisões tomadas por uma assembléia geral de uma denominação evangélica, eu compreenderia a sua indignação.

Se você estivesse criticando a fala de um deputado ou magistrado evangélico que propôs, votou ou defendeu uma das questões enumeradas por você, seria razoável o seu protesto e a conclamação que embandeira.

Mas não é este o caso. A República Federativa do Brasil é laica, não temos nem religiões nem morais oficiais. O que temos é um estado democrático de direito, em que as leis são feitas por legítimos representantes do povo (legítimos não porque sejam bons, mas porque foram eleitos de conformidade com a Constituição e com a lei eleitoral vigentes).

Uma lei, meu nobre amigo, é a moral vencedora nos embates político-ideológicos que possibilitam a democracia. O que sinto na fala de meus colegas protestantes é uma melancolia pelo antigo Israel, um estado teocrático, que viveu sempre um sistema ditatorial de comando, seja este de forças internas ou externas, afinadas com a vontade de Deus ou ao arrepio desta.

Peço a Deus, que com sua graça e misericórdia, nos livre disso. Que o Salvador nos afaste de um tempo de terror e escuridão em que os congressistas não tenham a liberdade para, inclusive, tomar decisões erradas e que os ministros da Suprema Corte não possam externar em seus votos de acordo com o que é o "senso comum da moralidade vigente" (o que é essencial para o conceito de inexigibilidade de conduta diversa, que você conhece tão bem).

Um homem manter relações sexuais com outro homem e viver com este como se ele fosse uma mulher, eu chamo de pecado. A decisão do STF sobre a união homossexual estável, eu chamo de jurisprudência. O pecado tem consequências espirituais e sociais, a jurisprudência tem consequências sociais e jurídicas. Logo o campo de batalha que se estabelece nem é jurídico nem é espiritual, é social.

Sei que há em você e em muitos de seus leitores a tendência de submeter tudo ao crivo da espiritualidade. Você o faz quando evoca a Bíblia como lei suprema. Mas ela só pode ser para você e para mim, nunca para o Estado. Ainda mais, um que se pretende construído sobre os alicerces da legalidade, como é o nosso caso.

Que se plasme em forma de lei uma outra moral, mas que isso se dê pelas vias político-democráticas e que, enquanto isso não acontecer, saibamos também respeitar as leis que estão postas, o que também é próprio da tradição calvinista.

Meu amigo, louvo a Deus por seu coração bom e simples. Mas, também Lhe peço que te livre da força do que os homens honram em você. Que em todos os dias de sua vida você seja usado pelo Senhor para anunciar as Boas Novas aos perdidos, mas que nem um dia sequer de sua vida seja gasto empunhando lanças contra moinhos de vento, tão somente para ouvir os aplausos dos sancho-panças e o relinchar dos rocinantes.

Com todo carinho e respeito,

Martorelli
frater et peccator

Anônimo disse...

Pastor Samuel,
sou crente e as vezes penso que nossa postura tem sido por muitas vezes de intolerâncias. No meu entender as pessoas do "mundo" vivem como tal e as decisões são tomadas de acordo com o que seguem e crêem, "eles" estão em seus papéis,jamais terão posturas diferentes. Desde que existe mundo, é isso que se vê. Prá mim a união legal ou ilegal de homossexuais não me diz muita coisa por que não vai deixar de existir. Agora talvez o que falta acontecer é a posição da Igreja frente aos problemas, encara-los com dignidade e amor, saber tratar com estas pessoas, a minha pergunta é: Estamos preparados??
Como IGREJA se comportaria se um desses resolvesse frequentar os nosssos cultos? Tenho um amigo de faculdade que demonstrou interesse em conhecer minha igreja, e sou sincera... temo!

Anônimo disse...

Inspirado e inteligente. Parabens Pastor.
Roberto

Salomão disse...

Pr, Samuel Vitalino,
Recebi sua mensagem (post) através de e-mail enviado pelo irmão Marcelino. Li seu texto e estou postando aqui um breve comentário.
Como já disse alguém aqui, creio também que esses ataques dos filhos do diabo, são fundamentalmente contra o Senhor Deus, Sua Palavra e Sua Igreja. E isso deve demandar uma reação (debaixo de muita oração), dos filhos de Deus. Não só "chorarmos" pelo acontecido, ou escrevermos bons comentários em nosso blogs, etc. A ausência, por exemplo, de nossos bons advogados e juízes, (que com certeza temos dentro das Igrejas fieis, além das tradicionais) foi gritante. Também de pastores e líderes bem treinados, quando a imprensa noticiava que os líderes dos ímpios "gays" se revezaram no STF. O exemplo positivo foi visto num jovem advogado da CNBB, que argumentou contra os ministros do stf, lembrando a Constituição Federal, mas também citando Deus e as Escrituras.
Pastor, creio que é necessário, urgente e possível agir, com sabedoria, estratégia e respeitando as leis. Conforme me informou um amigo que estuda Direito, existe um tipo de ação chamada Reclamação Constitucional. Segundo esse amigo, esse tipo de ação pode ser provocada por meio de uma associação, uma igreja por exemplo.
Nesse sentido, creio que os juízes e advogados, membros das diversas igrejas brasileiras, devessem unir-se analisar os meios jurídicos cabíveis e com o apoio dos pastores, lideranças e toda a Igreja, moverem essas ações jurídicas.
Outra coisa importante, é pressionarmos os parlamentares, deputados e senadores, da chamada bancada evangélica para eles também se movimentem. Para esse fim, segue o endereço eletrônico de alguns parlamentares federais da bancada evangélica (Frente Parlamentar Evangélica - http://frenteparlamentarevangelica.blogspot.com/):
Deput. Gilmar Machado - dep.gilmarmachado@camara.gov.br; Deput. João Campos - dep.joaocampos@camara.gov.br; Dep. Anthony Garotinho - dep.anthonygarotinho@camara.gov.br; Depta. Benedita da Silva - dep.beneditadasilva@camara.gov.br; Deput. Paulo Freire - dep.paulofreire@camara.gov.br; Deput. Roberto de Lucena - dep.robertodelucena@camara.gov.br; Deputa. Lauriete - dep.lauriete@camara.gov.br; Deput. Lourival Mendes - dep.lourivalmendes@camara.gov.br; Deputa. Rosinha da Adefal - dep.rosinhadaadefal@camara.gov.br; Deputa. Sueli Vidigal - dep.suelividigal@camara.gov.br; Deput. George Hilton - dep.georgehilton@camara.gov.br; Deput. Anderson Ferreira - dep.andersonferreira@camara.gov.br; Deput. Jefferson Campos - dep.jeffersoncampos@camara.gov.br; Deputa. Antônia Lúcia - dep.antonialucia@camara.gov.br; Deput. Heleno Silva - dep.helenosilva@camara.gov.br;Deput. Marcelo Aguiar - dep.marceloaguiar@camara.gov.br;Deput. Walney Rocha - dep.walneyrocha@camara.gov.br; Deput. Audifax - dep.audifax@camara.gov.br; Deput. Josué Bengtson - dep.josuebengtson@camara.gov.br; Deput. Leonardo Quintão - dep.leonardoquintao@camara.gov.br; Deput. Márcio Marinho - dep.marciomarinho@camara.gov.br; Deput. Neilton Mulim - dep.neiltonmulim@camara.gov.br; Deput. Acelino Popó - dep.acelinopopo@camara.gov.br; Deputa. Adreia Zito - dep.andreiazito@camara.gov.br; Deput. Pastor Eurico - dep.pastoreurico@camara.gov.br; Deput. Henrique Afonso - dep.henriqueafonso@camara.gov.br; Deput. Lindomar Garçon - dep.lindomargarcon@camara.gov.br; Deput. Vaz de Lima - dep.vazdelima@camara.gov.br; Senador Magno Malta - magnomalta@senador.gov.br; magnom@senado.gov.br; Senador Walter Pinheiro -pinheiro@senador.gov.br; Senador Marcelo Crivella - crivella@senador.gov.br. Lembrando que o líder da Bancada Evangélica é o Deputado João Campos PSDB (Assembléia de Deus).
Creio também, que ser viável, talvez com grande dificuldade, reunir as lideranças conciliares, entre outras, das diversas igrejas (pelo menos das mais tradicionais), para discutirem sobre, quem sabe, organizar movimentos nacionais de manifestações públicas, por exemplo marchas em defesa da família, etc.
Bem, são somente algumas sugestões.
Oremos pedindo as misericórdias e a graça do Senhor Deus, Soberano Juiz de todos.

Ligian disse...

Samuel,
Mais um post excelente! Não há nada em que não concorde!
Estou certa de que o que o motiva a escrever esses artigos tão relevantes seja o zêlo pela Palavra do Senhor e louvo a Deus por isso! Que você e todos os pastores fiéis se apeguem cada vez mais à autoridade da Palavra (que, na verdade é sua maior fonte de autoridade) e proclamem e digam e preguem! E que, enquanto isso, apressemos a vinda do Senhor!
Um abraço!
Bj na Patrícia e nos meninos!

Ligian disse...

E a mídia não quer desistir de nos calar e tirar nossa legitimidade, ridicularizando-nos...
Só mais uma das muitas artimanhas:
http://www.ogalileo.com.br/entretenimento/ultimas-noticias/tv-estreia-minisserie-sobre-jovem-evangelica-virgem-veja-video-e-fotos
Minisérie sobre uma adolescente evangélica...
Dá pra imaginar o que vem por aí, não?!

Breno Macedo disse...

Muka.

Excelente texto!

Acho que um próximo texto esclarecendo o papel da Lei Natural de Deus na confecção das leis do Estado demonstraria que qualquer país, mesmo sendo laico, deve obediência aos elementos básicos da Lei Divina.

Abração.

Heleno Filho disse...

Grande Samuel, grande texto!
Que Deus continue a nos dar essa coragem de ser profeta nesta geração com tantos desafios.
Abraços!

Anônimo disse...

Samuel e agora o que devemos fazer???? Impressionante.Realmente a vinda do Senhor está próxima!E agora?Serei presa pela palmadinha???Meus pais serão presos???
Senhor!!!!! tenha misericórdia de seus santos aqui na terra!!!!!!!!!

Amei Seu texto.
Muita coragem...PARABÉNS!

Eva Evangelline Daams

Sargento Andrade disse...

Bom dia Samuel,
Observa-se no NT que Jesus parecia gostar mais de ficar junto de pecadores de má fama do que quando ficava junto dos líderes religiosos judeos. Aos ladrões e prostitutas ele disse "os seus pecados estão perdoados" mas Ele advertiu os fariseus e escribas: "Ai de vocês".
Os fariseus achavam que por saberem muita coisa sobre a escritura e sobre os costumes religiosos, Deus gostava mais deles do que dos outros. Jesus viu essa atitude vaidosa deles e não gostou nada disso.
Jesus disse ao seus discipulos que o Reino de Deus não é formado de pessoas especiais. As pessoas que seguem a Jesus são todas iguais, e ele ama a cada uma delas da mesma maneira. O homossexualismo existe tanto dentro das famílias cristãs como nas outras famílias, sendo que o homossexual que faz parte da igreja cristã nunca revelará sua natureza para a igreja, pois com certeza não seria recebido com o amor de cristo.
Caro amigo nunca, jamais devemos esquecer que quando Cristo falou:" Amarás o teu próximo como a ti mesmo" ele não fez acepção de pessoas. Não se preocupe, pois " A maldade vai se espalhar tanto, que o amor de muitos se esfriará". É necessário que tudo isso aconteça para que Jesus reine eternamente.


Desculpe a escrita simples, pois o que entendo da Palavra de Deus, foi o que Ele me permitiu compreender.
Que Deus continue lhe abençoando ricamente com a graça no nosso Senhor Jesus Cristo Do amigo Andrade

Ana Carolina disse...

Como já citado por tantas pessoas aqui, excelente post! Também assino embaixo! Temos que nos posicionar diante de tantas usurpações e contrariedades às Leis do Senhor.
E muito bem sugerido pelo irmão Breno Macedo! Deus é Rei, Senhor Soberano e Juiz sobre tudo e sobre todos, inclusive daqueles que, em rebeldia, não reconhecem isso!
Os planos de Deus são cumpridos sempre! Em situações caóticas como as que temos vivido, às vezes custamos a lembrar disso... mas, "eu sei em quem tenho crido e estou bem certo que é Poderoso!"

Pastor Mauro disse...

Rev. Samuel Vitalino, servo do Deus altíssimo, estou contigo e não abro, assino em baixo de tudo que disseste, pois, é a pura verdade. Este é também o meu posicionamento como cristão e acima de tudo como colega de ministério. Creio que está na hora da igreja sair de quatro paredes e mostrar a cara, denunciando e até mesmo demonstrando sua insatisfação pela aprovaçãodestas leis do cão. Um grande abraço, seu conservo Rev. Mauro Pereira da Silva.

Pedro Albuquerque disse...

Samuel,

Depois que li o que Martorelli escreveu, me sinto contemplado naquilo que poderia comentar, todavia, ainda acrescentaria algumas questões, simples, mas de inegável importância. Refiro-me especialmente ao fato de não perceber tamanha paixão e desejo de enfrentamento quando se trata de questões que não são e nem serão tão divulgadas nas grandes mídias, muito menos nos pulpitos tão sofisticados e de falas rebuscadas, onde a dita teologia reformada reina como um ente que se impõe acima do EVANGELHO de JESUS e que não nos permite enxergar a miséria de uma pais que necessita de uma igreja que seja misericordiosa, e que ao invés de levantar uma espada para tal enfrentamento, decide pela bacia cheia de agua e uma toalha para servir conforme o SEU SENHOR!
Quando teremos essa mesma paixão para abrirmos nossos templos-clubes bem estruturados, climatizados, limpos para recebermos as milhares de pessoas sujas, mal cheirosas, que não entendem de PL 22 e de homofobia? Quando colocaremos nossos patrimonios eclesiástico-faraônicos a disposição de gente que não dá IBOPE? Quando essa igreja ensinará aos seus membros que no reino de Jesus publicanos, prostitutas, ladrões, pobres precedem os religiosos e os que se acham sãos?
Aqui fica uma proposta: Vamos abrir nossos espaços sacramentalizados para servir gente como resultado da nossa fé!
Termino dizendo, que a Verdade de Deus permanceu em meio a impérios muito mais corruptos do que aquilo que estamos vendo hj em nossa nação, e permanecerá para sempre, Deus não é marionete de ninguem, nem de leis de homens, e nem de uma igreja que se diz lutando por tal verdade. Que Deus tenha misericórdia de nós!

Pedro Albuquerque

Anônimo disse...

Shalom irmão

Compartilho da mesma ideia que o Srº, estava descutindo com meus familiares o absurdo, dessa decisão do STF, temos que dizer não para a permissividade, para a destrição da familia, precisamos fazer algo URGENTE, e são iniciativas como estas que devemos tomas. Precisamos nos posicionar.

JUANDELSANTOS disse...

è triste admitir que em um pais que se ufana de ter o maior numero de "cristãos evangelicos" na america a igreja exerça tão pouca influencia na sociedade ao ponto de criarem leis que priva os cristãos de confessarem o que crer (PL122)e degeneração da familia aprovado o que a biblia claramente desaprova(Gen.2.24 Rm 1.26-27. Porem somos gratos a DEus pois ainda tem aquels que nao dobraram o joelhos a Baall.

Parabens Samuel belo posto onde assinamos?
Josue & Etianne

Anônimo disse...

Pastor,
estou aqui no CAL com o senhor e não precisamos nada menos do que o senhor falou. Essa coragem.
Falando nisso, o que o senhor achou do texto de Marcos Lins sobre Judas, nosso irmão?

Shirley Mattos disse...

Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas. ITm 6.11 e 12

Estamos juntos pastor!!

Simon Lino disse...

O discurso do “politicamente correto” tem virado a cabeça de muitos “crentes” que ao invés de indignar-se com coisas abomináveis, como a aprovação dessas leis, tem feito vista grossa e até adotado discursos e práticas “progressistas”. Esses querem ser simpáticos ao mundo se conformando (tomando forma) com ele ao invés de lutar por transformação, começando em cada um.

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”
Romanos 12:2

Mais a Igreja (verdadeira, invisível e fiel) prevalecerá. Vamos à luta.

Anônimo disse...

Samuel,
graças a Deus pelo post escrito por você. Que você continue escrevendo para a glória de Deus!

Abraço
Renan

Renan de Oliveira disse...

Samuel,
graças a Deus pelo post escrito por você. Que você continue escrevendo para a glória de Deus!

Abraço
Renan

Anônimo disse...

Como é fácil fazer uma citação sem sentido, na frase mais usada de Nietzsche; muitos afirmam que ele anuncia a morte de Deus, no blog e a bíblia com isso? Acontece isso no artigo a igreja contra ataca, para entendermos o que Nietzsche queria dizer é necessário entender o seu contexto. No livro a gaia e a ciência ele pega uma lanterna ao meio dia e vai para o mercado e diz; Deus morreu, depois de todos gostarem e concordarem com sua afirmação, ele desconstrói sua afirmação, em vez de Deus morreu, ele afirma, nós o matamos, Eu e você, mas como? Que bucha pode apagar o horizonte, ou que barriga pode conter toda água da terra, neste caso a frase nietzscheana não mata Deus apenas expressa como as pessoas e os sistemas tentam matá-lo sem conseguir. Para Nietzsche as grandes igrejas serviam como catacumba de Deus, a religião segundo ele viviam o dualismo platônico desprezando tudo o corpo e o mundo, ora um grande luta da igreja no primeiro século foi contra o gnosticismo que estava vinculado completamente no dualismo platônico encharcado no desprezo do corpo e do mundo, o que levou ao docetismo.

Segundo Samuel Vieira o protestantismo brasileiro atua no Brasil como certa forma de neognoticismo, pois despreza o corpo, a política e a história. Portando na frase de Nietzsche pode mais ajudar a igreja do que prejudicá-la contra sua luta ao gnosticismo Portanto, a frase morte de Deus usada no artigo a igreja contra ataca não tem sentido, não configura argumenta algum dentro da frase de Nietzsche.

Djean Menezes

AzaeL Araújo disse...

Muca, parabéns pelo post.

Saudade de vcs!

SDG

Jefté disse...

Querido Samuel,

Seu texto é muito pertinente. A mensagem nele contido deve estar em nossas bocas. Quando a igreja se conforma com o mundanismo, sinal há que esqueceu os mandamentos de Deus. Que Deus dê esse temor à igreja.

Um forte abraço de minha família (Jefté, Ju e Dr. Phd. Chokito).

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Samuel como é bom saber que apesar de tudo sempre existirá o remanescente fiel. Como disse Charles Spurgeon: O amor a Deus faz heróis. Homens que não se dobram a Baal. Continue firme em suas convicções, pois todos aqueles que têm a Bíblia como regra de fé e prática sabem que Ela está acima das decisões de homens pecadores longe da fazerem a vontade de Deus. Nós vivemos para a glória de Deus e se uma decisão dessa não glorifica a Deus então devemos rejeitá-la e condená-la. Grande abraço. Estou contigo até o fim.

Hypólito Daniel
Pastor em Altos-PI

Samuel Vitalino disse...

Prezados irmãos,

Quero agradecer todos os comentários. Vou responder aqui alguns que eu julgo carecem de alguma explicação. Mas minha gratidão pela participação de tantos irmãos que se preocupam, como eu, com o estado em que as coisas estão indo no nosso país. Aos que pediram autorização para uso do texto, creio que tudo o que está no blog pode tranquilamente ser usado sem problema.

Samuel Vitalino disse...

Queridos Presb. Solano, Daniel Subkoff e Renata

Sobre a educação no lar (homeschooling), creio que podemos divergir se o melhor para nossos filhos é ou não educarmos nossos filhos em casa. Nesse ponto eu creio que, dado ao fato de que o sistema educacional das nossas escolas é um tanto trágico, educá-los em casa talvez seja uma opção mais segura.

De qualquer forma, o que acho absurda é a proibição. Como pais, claro que eu devo ter o direito de escolha sobre a educação dos meus filhos.

(Daniel e Renata, sobre o restante dos seus questionamentos, responderei daqui a pouco a Martorelli)

Samuel Vitalino disse...

Kinha,

Fiquei feliz com a comparação com Atos 17. Já preguei no texto e, de fato, Paulo estava revoltado. O que temos de fazer é o que ele fez ali. Pregar a Palavra e continuar fazendo para que Deus a use para a Sua glória. Alguns zombarão, outros dirão que desejam ouvir depois, mas alguns abraçarão a fé.

Samuel Vitalino disse...

Querido Paulo (Brasil e) Souza,

Você tem razão. Quando atacam a família é ao próprio Deus que estão atacando. Ai deles!

Samuel Vitalino disse...

Caro Martorelli,

Seu comentário foi importante para mim, pois ele me permitirá dizer ainda algumas coisas aqui em resposta a você.

Como sempre (e me lembro bem de suas aulas quando ainda era Presbiteriano) polêmico, porém não conservador :).

Preciso dizer que a parte mais triste para mim não foram as questões fáticas levantadas por você. Chego já a elas; mas suas palavras dirigidas aos que concordaram com o post, até porque não há nenhum Dom Quixote aqui. Mas a isso deixarei que sua réplica (que o conhecendo bem deverá vir) sirva também para que você desfaça isso, pois sei que não é seu estilo (Nesse ponto deixarei o nome do seu Watson Pedro Albuquerque aqui – hehe, espero que ele entenda a brincadeira).

Mas a base do seu argumento para discordar de mim, ainda que com muita retórica (ah, da sua retórica eu sinto falta), dessa vez careceu de uma maior base apologética [pois exegética no nosso caso é complicado pelas diferentes escolas que seguimos]. Veja porque:

Se vivêssemos numa sociedade Cristã confessional, ou se essa discussão fosse intra-muros para a Igreja, certamente eu teria usado outros textos como base do meu argumento que não o Salmo 2.

Se você notar, o Salmo 2 se dirige exatamente aos Príncipes e Juízes desse mundo.

Você já subscreveu uma Confissão que declara que a Palavra de Deus deve, sim, regular todas as pessoas, e a não observância dela é o que condena as pessoas.

Por isso o ato do Salmista de dizer aos Reis e Juízes da terra que beijarem o Filho é a nossa base para amar os ímpios e, sem esconder sua impiedade, pregar-lhes amorosamente o evangelho.

Quero que o senso comum seja direcionado pela Escritura, Martorelli. Lutarei por isso, ainda que, pela própria Escritura saiba que é uma luta inglória para esse tempo; mas eu sei em quem tenho crido e estou certo que ele é poderoso para guardar o meu tesouro até o dia final.

No mais, receba meu abraço e espero que brevemente você me pague a devida pizza.

Samuel Vitalino disse...

Anônima (serve para o Andrade também),

Sua questão é muito relevante. Nossa luta não pode deixar de ser renhida contra o mal, mas nunca devemos perder o foco de amar as pessoas que não conhecem a Cristo a ponto de nos entregar por elas. Estar prontos até mesmo a sofrer pela verdade (e, finalmente, por elas) a exemplo de Paulo desejando ser anátema pelos Judeus, enquanto condenava os mesmos Judeus pelo que pensavam. Esse equilíbrio bíblico precisa ser vivido e conhecido da Igreja de Jesus Cristo – ele também denunciava e odiava o pecado e foi o maior exemplo de se entregar para salvar e transformar pecadores.

Anônimo (2),

O texto do Judas não é nosso foco aqui. Mas cada um tem o irmão que merece.

Samuel Vitalino disse...

Djean, Filósofo hehe,

Vou recorrer a meu colega mais filósofo que eu Tokashike para responder essa aqui. :), senão respondo amanhã. Agora passa da meia noite e já queimei minhas pestanas com Martorelli!

Anônimo disse...

Temos acompanhado de modo gradativo a decadência das normas, dos princípios que circundam a conduta do homem em meio a essa sociedade imergida na imensidão da ignorância, e atolada no engodo do pecado. E nós denominados evangélicos muitas vezes temos que assistir passivamente as atrocidades e aberrações desencadeadas por esse governo humanista, sectário e anarquista etc.
Já não basta o Culto ao Gosto do Freguês, agora temos que assistir a aprovação da PL-122 e a chegada do Kit anti-homofobia que vai chegar a 6.000 escolas públicas no 2º semestre. (Por isso estes são passíveis de morte... Rm 1. 32).
Infelizmente muitos projetos degenerados continuarão a ser aprovados por parlamentares que sem escrúpulos relativizam o projeto familiar estabelecido por Deus, em detrimento de suas luxurias carnais. (Sabendo estes que cada um dará conta dos seus atos insanos. Rm 14. 12).
Pra terminar, gostaria de dizer para aos adeptos dessa nódoa partidária que é o PT: Não fiquem alarmados com as mudanças no cenário social no que diz respeito às invertidas maliciosas promovidas por pessoas que objetivam ridicularizar e menosprezar a família, pois atrocidades maiores virão.
Portanto, estejamos sempre prontos a reverti-nos de toda armadura de Deus para podermos ficar firmes contra as ciladas do diabo... Ef 6. 10 -18
Abraço!
Em Cristo,
Ainadabe

Anônimo disse...

O Salmo 2 realmente está falando aos gentios.

Celeste disse...

Caro Pastor Samuel,

É exatamente essa postura que devemos ter. Sabemos que esse sistema de coisas vai passar, mas enquanto não passa, precisamos fazer a parte que nos cabe como membros do corpo do Messias, que representa o Reino de Deus na Terra.
E não esqueçamos o que nos adverte o apóstolo Shaul (Paulo) em Romanos 1:18-32

Que o Eterno de Israel nos abençoe nessa luta.

Shalom,
Celeste

Anônimo disse...

Li esse texto... excelente como todos os outros que já li do senhor, pastor! Glória a Deus!

Lamento que só agora a igreja esteja "contra-atacando"...

Bem que a IPB, por exemplo, poderia ter contra-atacado efetivamente participando como amicus curiae desse processo aí em que o STF deu status familiae à união homoafetiva...

Tava vendo hoje que o MEC gastou 11 milhões de reais na produção de um tal de, como chamam, "KIT GAY" que contém alguns itens... entre os quais 3 vídeos (faça a busca no youtube! você facilmente encontrará!) que serão exibidos nas escolas públicas brasileiras para crianças de 7 a 14 anos, no segundo semestre desse ano.

E a igreja... como sempre, só contra atacando, assim, com textos em seus blogs pessoais, com publicações em revistas, jornais pequenos...


Vamos pregar o evangelho, gente!
Quantos de vocês falam de Cristo no trabalho? Na faculdade? Na escola? Hein?

Quantos de vocês anunciam Cristo dando um bom testemunho? Quantos de vocês já demonstraram amor pelos homossexuais falando de Jesus para eles?
Quantos de vocês mostraram este texto para um amigo incrédulo, por exemplo?

Vamos demonstrar que não somos homofóbicos, preconceituosos... Vamos demonstrar amor por essas pessoas tratando-as com civilidade, dignidade, educação, ajudando-as no que for preciso, convidando-as para um culto num domingo na nossa igreja!!!

Vamos arregaçar as mangas, sair pelas ruas, deixar o conforto das nossas casas e falar do sacrifício que Cristo fez pelos Seus eleitos!

Não vamos mudar a nossa sociedade se ficarmos parados de braços cruzados... ou simplesmente se ficarmos com discussões doutrinárias bobas na internet!

É preciso que as pessoas escutem a Verdade de Deus...

Ah! Como eu queria Jonathan Edwards, aqui, hoje, no Brasil fazendo um sermão daqueles como em "Pecadores nas mãos de um Deus irado", ao vivo, na TV, em rede nacional, com o ibope mais alto do que em jogo da seleção brasileira em final de Copa do Mundo...
...e as pessoas em casa ouvindo atentas e gemendo, tremendo e temendo o Senhor...

Oh! Senhor... tens piedade do Brasil... ajuda-nos, Pai.
Abençoa nossos pastores presbiterianos! Usa-os como Tu usaste Jonathan Edwards e tantos outros pastores, no passado, para o louvor da glória do Teu Santo nome! Amém.

Daniel Subkoff disse...

Samuel,
na sua resposta à Martorelli você afirmou: "Quero que o senso comum seja direcionado pela Escritura". No entanto, eu me pergunto se isso sequer é possível. Como o blog tem participantes calvinistas,eu me permito o seguinte argumento: se existem eleitos, é porque existem não eleitos e, estes são em maioria e fazem o senso comum! Como o Evangelho pode pautar o senso comum se essas pessoas não serão salvas e, por isso, nunca seguirão (ou talvez nem conhecerão por não quererem) o Evangelho? Gostaria muito que todos os irmãos se sentissem a vontade até de acabar com meu argumento, se lógica e bíblica for a justificativa
XD

Anônimo disse...

Caro Samuel, nunca perca sua coerencia, e continue batalhando pois esta causa e a mais valida de todas. Seu amigo Regio Girao

Flávio Moreira disse...

Amado amigo e irmão, Deus o abençoe! Fico feliz por saber que o Senhor possui apologetas abnegados como você. Concordo plenamente com tudo que escrevestes. Sei que o Senhor jamais deixará de bradar por intermédio de seus atalaias. Jamais esqueçamos de Jesus que disse: E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem. Lucas 17:26. Continue falando e escrevendo. Orei por vc.

Charles Melo disse...

Samuel,

O seu texto reflete o espírito e pensamento reformado e foi escrito de forma clara, confrontadora e objetiva, segundo o exemplo do teu Mestre: Cristo.
Infelizmente, a cosmovisão de alguns que não pensam assim se mostra relativista, para não dizer existencialista, quando condiciona a classificação de absurdas as decisões do governo se fôssemos súditos de um país confessional. Independente da confessionalidade do país, a Bíblia se mantém a mesma verdade objetiva para todas as culturas. E a verdade da Palavra, como disse acertadamente Josh McDowell, “é a verdade para todas as pessoas de todas as épocas e em todos os lugares”.
Quando dizem que o Brasil é Estado laico, estão formulando uma bela teoria. Na prática, o que vemos é um país oficialmente comprometido com a Igreja Católica mediante o Tratado Santa Sé e República Federativa do Brasil. Também vemos um comprometimento com cosmovisões secularizadas, que pregam a autonomia do ser humano na afirmação do que é certo ou errado, à parte da palavra de Deus. Lembro que a palavra de Deus é a verdade e manifesta a vontade de Deus para todas as pessoas em todas as épocas e lugares.
Seria bom se fosse verdade que o Brasil não é um estado democrático de direito, em que as leis são feitas por legítimos representantes do povo. O que vimos na semana passada foi um ato arbitrário e autoritário do STF que usurpou a função do Legislativo e legislou sobre matéria clara e explícita na Constituição Federal. Se querem alterar o texto ou o sentido do texto magno, que seja via Congresso. Aconselho a leitura do blog do Azevedo, da Veja.
Observe, Samuel, como certas cosmovisões não se revelam teoreferentes em seu arrazoado. Será que a vontade de Deus é uma para crentes e outra para incrédulos? Em Israel, por ser uma nação de teísta, a vontade de Deus faria sentido e deveria ser observada. Em outras nações, a vontade de Deus não é relevante... Se for assim, então todos estão certos. No final, não faz a menor diferença se alguma nação se preocupa ou não com a vontade de Deus. Creio que Deus é o rei de toda a terra, conforme afirma o Salmo 47. Manda quem pode; obedece que tem juízo, o que parece, não é o caso dos nossos governantes.
Esse tipo de abordagem que conduz a um caminho que parece cheio de amor e belo, mas da beleza das flores da “coroa de cristo”, que apesar de pequenas e delicadas, escondem os espinhos por detrás, deve ser seriamente evitado. Querer que os congressistas tenham liberdade para tomar decisões erradas soa estranho para quem deveria desejar o bem maior do nosso país que é vê-lo aos pés do Senhor da História. Isso lembra a tese de Sartre, de que nós só fazemos opção pelo certo. O que importa é o ato de vontade, independente de erro ou acerto. Não!!! Nós temos de agir de acordo com as lentes da palavra de Deus, denunciando inclusive as arbitrariedades dos governantes que afastam o país cada vez mais da direção a Deus para a apostática.

Charles Melo disse...

O texto relativista que li em um dos comentários faz uma distinção perigosa. Enxergar a união homossexual como jurisprudência coloca esse tipo de relação num universo de causa e efeito num sistema fechado. Ninguém pode criticar, ninguém pode discordar, pois é só um caso de jurisprudência. Mas a união é abominada pelo Senhor e Criador da história. Veja como se usa lentes diferentes para analisar a mesma situação. Isso redunda em sínteses, mas o Evangelho não admite sínteses, é absoluto.
A vontade de Deus expressa na Palavra é o melhor para todas as pessoas. Infelizmente temos de conviver com o fato de que nosso país não segue a Palavra, mas também não podemos nos conformar com isso. Temos de ser a voz profética, que era pregada não apenas nos arraiais teocráticos, mas também a outras nações circunvizinhas a Israel. Importa obedecer a Deus do que aos homens.
Devemos lembrar que Calvino lutava contra as leis que não concordavam com a Bíblia e chegou a ser expulso de Genebra em 1538 em razão dos arranhões com o Conselho dos 200. Quando voltou em 1541, teve maior liberdade e introduziu várias novas leis como o feriado aos domingos, leis contra açambarcamento sócio-econômico, lei que proibia a ociosidade, etc. A tradição reformada sempre foi de defesa da verdade da Palavra de Deus. Se fosse necessário criticar as medidas erradas dos governos, os reformados criticavam à luz da Palavra, com a voz profética que jamais pode fenecer na igreja.
Samuel, meu amigo, vamos em frente. Tenho certeza de que os leitores que elogiaram seu artigo não são aduladores nem frágeis rocins, mas robustos guardiões da sã doutrina, como convém aos santos.

Parabéns pelo post!
Abraço!

Charles Melo disse...

Caro Anônimo (Djean Menezes),

Você disse que Nietzsche não quis dizer que Deus estava morto quando apregoou a morte de Deus. Veja o que achei em alguns sites de filosofia (sites não-cristãos):

“O ataque direto que Nietzsche desencadeou contra o cristianismo radicalizou-se com o seu "O Anticristo" (Der Antichrist), mas foi inicialmente exposto na A genealogia da moral (Zur Genealogie der Moral), de 1887. Argumentou que a ética cristã era uma moral de escravos, de gente fraca e vil que havia, através do cristianismo, desvirilizado o espírito senhorial e dominante dos aristocratas. A origem desse processo, segundo Nietzsche, remontava à aos tempos da Palestina ocupada pela raça romana, raça de senhores. Os judeus, impotentes em poder livra-se deles, terminaram por aperfeiçoar a psicologia do ressentimento provocando uma inversão dos valores. Tudo aquilo que era "débil", "humilde", "medíocre", eles apresentaram como "bom", enquanto palavras tais como "nobreza', "honra", "valor", foram vistas como "mal". O resultado desse trabalho de sapador, feito por séculos de pregação cristã, foi o enfraquecimento das energias vivificantes da sociedade ocidental, especialmente das suas elites, na medida em que o "doentio moralismo ensinou o homem a envergonhar-se de todos os seus instintos".
(peraí que tem mais)

Charles Melo disse...

"Deus está morto!" Foi sua mais célebre proclamação. Como conseqüência, os homens deveriam buscar valores que transcendessem a moral convencional divulgada pelo cristianismo; um retorno "à ordem de castas, à ordem hierárquica [...] para a conservação da sociedade, para que sejam possíveis tipos mais elevados, tipos superiores - a desigualdade dos direitos é a condição necessária para que haja direitos". Concluiu dizendo: "Quais são aqueles que mais odeio no meio da canalha dos nossos dias? A canalha socialista, os apóstolos [...] mirando o instinto, o prazer, o contentamento do trabalhador no seu pequeno mundo - que o tornam invejoso, que lhe ensinam a vingança [...] a injustiça nunca reside na desigualdade dos direitos, ela está na reivindicação de direitos iguais".

Veja agora algumas das “célebres” frases de Nietzsche:

“Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas”.
“Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal”.
"Para mim o ateísmo não é nem uma consequência, nem mesmo um fato novo: existe comigo por instinto" (Ecce Homo, II, 1).
"Deus está morto. Viva Perigosamente. Qual o melhor remédio? - Vitória!".
"O Evangelho morreu na cruz."
"A diferença fundamental entre as duas religiões da decadência: o budismo não promete, mas assegura. O cristianismo promete tudo, mas não cumpre nada."
"Para ler o Novo Testamento é conveniente calçar luvas. Diante de tanta sujeira, tal atitude é necessária."
"O cristianismo foi, até o momento, a maior desgraça da humanidade, por ter desprezado o Corpo."
"A fé é querer ignorar tudo aquilo que é verdade."
"Deus está morto, mas o seu cadáver permanece insepulto."

Será que ainda assim o nobre colega ainda insistiria na tentativa de fornecer uma imagem romântica de Nietzsche ou estaria pronto a encarar a realidade de que sua convicção a respeito da morte de Deus era fruto de seu declarado ateísmo?

Anônimo disse...

Samuel,
gostaria de poder comentar uma afirmação sua. Como o blog é frequentado por calvinistas, me sinto à vontade de propor o seguinte raciocínio acerca do que você disse à Martorelli: "Quero que o senso comum seja direcionado pela Escritura". Ora, se há eleitos, é porque existem não-eleitos e, como a porta é estreita para o Reino dos Céus e grande para os que não adentram, é porque existem mais não-eleitos que eleitos. Como estes são maioria, constroem, por conseguinte, o senso comum. Assim, como um senso comum não-cristão, feito por pessoas que não querem conhecer ou nem conhecem a Bíblia, pode ser pautado pelo Evangelho? Quero que os irmãos e você, Samuel, se sintam à vontade de discordar e de derrubar meu argumento caso sejam lógicos e bíblicos XD
Grande abraço,
Daniel Subkoff
OBS: Não consegui comentar com minha conta do gmail, não sei se o blog está com defeito ou foi passageiro.

Samuel Vitalino disse...

Anônimo (19:45)

Seu desabafo é o nosso. Arregacemos juntos as mangas.

Samuel Vitalino disse...

Daniel,
Nessa vida não é possível que consigamos de forma completa não. Entretanto estamos nesse mundo para mudar o vetor do que o pecado fez com a boa criação de Deus e contribiamos para o resgate de todas as coisas.

Ana Carolina disse...

Excelentes posicionamentos dos pastores Samuel Vitalino e Charles Melo (e de todos os crentes que defendem e buscam viver a Sã Doutrina das Escrituras)! Alguns dos comentários aqui postados estavam me incomodando bastante desde quando os li. O relativismo, a inversão da verdade dentre tantos outros males demonstrados em tais comentários são indícios claros da marca da besta, do modo de pensar e de agir contrários aos ensinados pelo nosso Deus... ou seja, Apostasia! Devemos vigiar constantemente! Se dentro da própria igreja (a visível, deste mundo) temos estes pensamentos, o que diremos do Congresso?!
Deus seja louvado pelo zelo e misericórdia para com o Seu povo, sempre presente e atuante, independente do quanto os dias sejam maus, Ele é providente! O próprio Rei Jesus se compromete com a santificação de Sua noiva, para no Dia Final "apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível". Ef. 5.27
Irmãos, continuemos a nossa carreira da fé rumo à coroa incorruptível! (1Co 9. 25)

Samuel Vitalino disse...

Charles,

Seus comentários valem mais que meu post.

Obrigado,

Charles Melo disse...

Errata!

Em vez de "Seria bom se fosse verdade que o Brasil não é um estado democrático de direito, em que as leis são feitas por legítimos representantes do povo", leia-se: "Seria bom se fosse verdade que o Brasil é um estado democrático de direito, em que as leis são feitas por legítimos representantes do povo"

Anônimo disse...

Irmãos,

Isso me fez pensar uma coisa. Em Estados liberais como a California essas decisões são colocadas a plesbicito para que o povo se pronuncie.

O Brasil é conservador, sabendo disso, as autoridades não correm esse risco e ainda jogam confete para as massas.

Daniel Subkoff disse...

Entendo o que você quer dizer. Não importa muito que poucos nos ouçam e nem que consigamos reverter a situação do senso comum, o que vale mesmo é falar, falar e falar, mesmo que o Judiciário possa até mesmo um dia nos prender após o Legislativo aprovar a lei da homofobia. Porque ser desprezado nesse caso é ótimo, é só ver em 2 Corintíos o quanto Paulo se orgulhava de sofrer pelo Evangelho, porque ele sabia que vinha de Deus o que ele pregava. Que seja então, que nos odeiem por dizer a Verdade, mas que a professemos.

Pastor Tito disse...

Oi Samuel. Li os comentarios do seu post rapidamento e notei que algumas pessoas falaram da neutralidade do governo brasileiro como um pais laico. Essa ideia de neutralidade so existe no papel. O homem nao eh neutro e as instituicoes nas quais os homens estao envolvidos nao sao neutras. De acordo com Romanos 13, o governo foi instituido por Deus para ser ministro do bem de acordo com a Sua lei. Se eu tiver entendendo o conceito de neutralidade (pais laico) corretamento, nenhum crente deveria usa-lo em argumentacao do que eh justo. O que eh que voce acha?

Blog de Martorelli Dantas disse...

Samuel, não pude colar a minha resposta aqui. Parece que ficou grande demais. Mas, para fazer a minha última intervenção nesta questão, vou publicar o meu comentário aqui (www.martorelli.org/samuel.html).

Samuel Vitalino disse...

Você diz que me falta “uma maior base apologética”. Tem toda razão! Faz tempo que desisti de todo e qualquer tipo de apologética. Não defendo a minha fé, dou testemunho dela. Não sou um tipo de templário, um guerreiro sagrado, em defesa de Deus e de sua igreja. Deus não precisa de baluartes e a Igreja encontra como maior ameaça à sua saúde e integridade as forças que militam dentro dela. E eu não tenho ânimo para lutar com meus irmãos, pelo contrário, quero andar com eles, estejam eles, a meu juízo, certos ou errados, posto que as minhas convicções são apenas as minha convicção, não fui constituído pelo Senhor como controler da ortodoxia mundial, mas há quem tenha ânimo pra isso.

Mais uma vez lhe dou razão quando diz que não fazemos exegese do mesmo jeito. Minha exegese é tal que leva em consideração o texto em seu contexto histórico e supõe que ele diz o que pretendeu o seu autor e entenderam os leitores originais. Quando pego o Salmo 2 em minhas mãos (e o fiz para compartilhá-lo neste momento), vejo um mundo dividido entre judeus e gentios – “Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs?” (v.1) – o que denota uma cosmovisão judaica, na qual não nos vemos inseridos. Hoje não temos uma nação de Deus em contraposição aos povos ímpios, o que temos é o povo de Deus espalhado no meio de todos os povos.

Neste texto o rei tem endereço certo, está constituído sobre o “santo monte Sião” (v.6), uma clara referência a cidade de Jerusalém, então capital de Israel. O salmo todo é uma proclamação da superioridade da nação de Israel sobre os outros povos, do rei dos filhos de Abraão sobre os demais – “os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o Senhor e contra o seu ungido” (v.2). Como eu disse, nota-se em seu texto esta melancolia em relação ao antigo estado de Israel. Os desafios da igreja de nossos dias não é reabilitar a glória dos judeus, como querem alguns dispensacionalistas, mas aprendermos a sermos seguidores de Jesus, como Paulo entre os romanos.

Samuel Vitalino disse...

Martorelli, copiarei e colarei aqui:

Samuel, mano amado,

Paz e Bem!

Não quis zombar de nenhuma das pessoas que concordaram com seu post, só quis lhe aconselhar a nunca posicionar-se para receber aplausos, a não assumir posturas pela conveniência de saber que isto será apreciado por um grupo de pessoas com as quais você esteja histórica e momentaneamente identificado. Só você pode saber se esta é ou não uma tentação que lhe assalta. A mim visita a cada manhã. Nem mesmo estou dizendo que é este o caso do texto que agora debatemos. Antes, disse que tenho convicção que o seu entendimento exarado é a manifestação daquilo que crê seu coração.

Só ingressei neste debate porque você me pediu que comentasse o seu texto e foi isso que fiz. Tentei, em minha primeira intervenção, ser claro e cortes, mas posso não ter conseguido. É sempre difícil fazê-lo em polêmicas, e mesmo sendo, é difícil ser compreendido deste modo pelo contendor, fruto do próprio espírito em que o confronto de idéias acontece. Pois, de pronto, peço perdão a quem de qualquer modo e por qualquer palavra tenha ofendido. Até porque, Dom Quixote é o meu herói preferido, com o qual me identifico muito – o cavaleiro da triste figura.

Samuel Vitalino disse...

É justamente a figura de Paulo que pode muito nos ajudar a entender qual deve ser a nossa postura em relação à questão do homossexualismo em nossos dias. Ele foi apóstolo num mundo greco-romano, em que a prática do homossexualismo era absolutamente comum e corriqueira, mas não o vemos fazendo denúncias contra as autoridades romanas que praticavam a pederastia, ou contra os gregos e seus efêbos. Ele condena o homossexualismo como pecado, e diz que quem se converte deve abandonar tal conduta. Mas ele, nas muitas defesas que apresentou perante autoridades romanas, jamais tomou um tom acusatorial, antes deu testemunho de sua fé e do que Deus fizera por ele. O discurso de Paulo era de exortação e ensino para a igreja. Não há uma carta ao Senado Romano, mas aos irmãos de Roma.

Fiquei pensando muito da figura de Darth Veigan com uma Bíblia na mão, com a qual você ilustrou o seu post. Até desconfio quem é que está por baixo da fantasia preta J, mas ela pode ser muito perigosa, mais do que uma leitura rápida possa denunciar. Hoje a mais ameaçadora força a comprometer a paz mundial é o fundamentalismo religioso, tanto islâmico quanto cristão. A resposta que tem sido dada à brutalidade oriunda de grupos mulçumanos é a contrapartida na mesma medida de grupos cristãos. Mal por mal. A própria referência a Star Wars pode deixar escapar um maniqueísmo, que divide o mundo entre o lado negro da Força e o lado bom da Força. Eu vivo num mundo em que há muitas forças, mas a Força não está dividida.

Com carinho e devendo uma pizza,

Martorelli Dantas

P.S.: um dia eu subscrevi a Confissão de Fé de Westminster como a correta interpretação das Escritura, depois, pensei melhor, e resolvi interpretar as Escrituras eu mesmo.

Samuel Vitalino disse...

OK, lerei quando tiver uma pausa na palestra aqui. Abrç,

Samuel Vitalino disse...

Tito, penso exatamente como você.
Por isso meu post.

Samuel Vitalino disse...

Martorelli,

Sobre a primeira questão estamos resolvidos. Já conversei até com o Fernando também e não tem (creio) ninguém ofendido. Glória a Deus por isso.

Sei que essas coisas são usadas em debate e serviu para os dois lados. Nos abraçamos aqui!

Sobre o meu super-herói favorito, não é o Darth Vaigen (é assim que se escreve?), na verdade a foto foi mera provocação.

Mas se você sabe quem é que está por baixo dela, por favor nos informe, pois a curiosidade me assaltou a mente!

Sobre o segundo assunto, entretanto, preciso dizer que o conteúdo do que pregamos e escrevemos prova que não buscamos simpatia. A verdade (martelo, espada) sempre machuca, mas nosso compromisso é e espero que sempre por ela.

(Continua)

Samuel Vitalino disse...

Não preciso dizer que você é um apologeta. A diferença é que nesse campo você leva uma grande vantagem da maioria - e como muitos precisam apresnder isso com você: você não leva as coisas para o pessoal. Mais um abraço para você.

Entretanto preciso discordar em relação ao Salmo 2. Especialmente nas refeências feitas ao Ungido e a Sião.

Não apenas o conteto do Salmo, mas especialmente o livro de Atos (4:23-28 e 13:30-33) nos mostra que o Salmista refere-se a Cristo; que na plenitide do tempo veio assunmir o Reino como ele mesmo relata nos evangelhos e Paulo confirma nas suas cartas - logo, o Salmo se interpõe como um grande insentivo para nós reuquerermos dos nossos governantes aquilo que que relamente deveríamos querer: que os Princípios do verdadeiro Governante sejam estabelecidos no nosso meio. "Feliz a nação cujo Deus é o Senhor". Eu desejo que o Brasil seja uma nação feliz.

(Continua)

Samuel Vitalino disse...

Sobre Paulo, Martorelli, o livro de Romanos fala por mim. O Cap. 1 mostra o que Paulo pensava sobre o homossexualismo e os que aprovam o que assim procedem (duríssimo); e mais no final do livro cobra dos governantes (cap. 13) que vivamos de forma tranquila sobre a terra por estabelecer aquilo que é justo.

---

Uma pausa importante aqui: eu ainda vou concordar com você em outro ponto. o inimigo do evangelho mais perigoso é aquele que se esconde nas nossas festas de fraternidade. Aqueles se banqueteiam conosco sem qualquer recato. Aqueles que não passam de ondas bramidas pelo vento, de rochas submersas, pois quanto a tudo o que não entendem difamam e quanto a tudo o que compreendem, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem (livro de Judas), mas para esses, o próprio livro diz o que os espera.

E ainda mais uma coisa, também prego o fim das dicotomias (mais uma vez, o Star Wars foi apenas ilustrativo), creio que nossa meta sempre deva ser redimir o mundo ao nosso redor, pois Cristo pagou alto preço por isso (Col. 1:20).

Já com água na boca pela pizza...

----

Outra pausa.

Essa com rufos maiores de expectativa!

Me preocupei com o seu PS - melhor não crer que não sendo apologetas, sejamos os melhores exegetas.

Posso estar enganado (talvez não), mas acho que você ainda vai responder - isso soa como uma tentação? :) hehehe

Pelo menos revele a identidade do Darth!

Abraço,

Anônimo disse...

Bravo, bravíssimo...
Nossa base é a biblia e sempre será.....custe o que custar devemos ser firmes

Blog de Martorelli Dantas disse...

Samuel,

Mauro, diretamente dos EUA, deu um toque importante. A conclusão é que nós dois estávamos errados. O jeito certo de escrever é Darth Vader kkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Pastor Samuel , gostaria q comentasse sobre o fato da Igreja Presbiteriana dos EUA admitir Ministros homossexuais.

Samuel Vitalino disse...

Eu imaginava.

Caro Anônimo, a PCUSA é uma igreja liberal há alguns anos e a IPB cortou todas as relações possíveis existentes com ela.

Nossa luta é não caminhar na mesma direção,

Abraço,

Anônimo disse...

Pastor Samuel ,
Gostaria que comentasse sobre o fato da igreja presbiteriana dos EUA admitir ministros homossexuais. Aproveito a oportunidade para parabeniza -ló pelo texto acima. Deus continue lhe abençoando . Que nós cristãos possamos seguir seu exemplo e não se calar diante desses fatos que sao contra os ensinamentos de DEus .

Deus continue lhe fortalecendo e edificando seu ministério.

Anônimo disse...

Pr. Samuel, Exelente post, que Deus continue lhe abençoando. abraço.
SEM. Jorge/ STNe

Anônimo disse...

Só uma correção: o nome do febril autor de "Deus, um delírio" é Richard DAwkins.

Anônimo disse...

Bom!!! Muito bom!!! Excelente!!!
=]

Anne

Anônimo disse...

Caro Rev Samuel

Perdoe-me a demora em responder o comentário do sr. Djean Meneses, mas as muitas tarefas e atividades enquanto pastor e professor têm-me preenchido o tempo, de modo que escrever é um desafio hercúleo para mim, embora seja um prazer fazê-lo. O Rev Charles deu uma resposta muito boa e suficiente, mas eu gostaria de fazer somente mais 2 ou 3 observações sobre o assunto.

Falar resumidamente do pensamento de qualquer filósofo é desafio cansativo, e por vezes frustrante. Assim, pretendo deter-me aqui apenas no que foi mencionado questionando a integridade e competência dos autores do blog que mencionaram Nietzsche em seus artigos, e assim, demonstrar que a citação foi corretamente feita respeitando o pensamento do autor e contexto.

Permita-me comentar apenas algumas das citações sr. Djean:

1. “a frase nietzscheana não mata Deus apenas expressa como as pessoas e os sistemas tentam matá-lo sem conseguir.” Como você corretamente afirmou precisamos entender o contexto em que Nietzsche declarou na boca do louco: “Deus está morto! E, nós o matamos”. Primeiro, observe que ele se inclui na declaração do demente. Não é uma acusação profética, mas um assumir de culpa, embora resguardadas as diferenças entre ele e o Cristianismo alemão dos seus dias. Segundo, a sua crítica dirigia-se ao Idealismo alemão, ao Evolucionismo darwiniano, ao Positivismo e ao Romantismo – pensamentos correntes tão comuns, naqueles dias. Ele declara que são sistemas “humanos, muito humanos”, e por isso, ele propõe o “super-homem” sob a bandeira do Ilumismo. Estes sistemas mataram Deus, não negando a sua existência, mas, a sua providência. Teologicamente falando estes sistemas eram basicamente “deístas”: Deus poderia existir, desde que existir fosse a Sua única ação! Daí surge Nietzsche e coloca a tampa do caixão com o seu ateísmo nihilista, e declara a morte de Deus no pensamento moderno [J.P. Moreland & William L. Graig sugerem que Nietzsche e outros pensadores são precursores do Pós-modernismo. Veja, Filosofia e cosmovisão cristã, Edições Vida Nova, 2005, pág. 186].

Continua...

Anônimo disse...

... continuando

2. Você também escreveu: “Para Nietzsche as grandes igrejas serviam como catacumba de Deus, a religião segundo ele viviam o dualismo platônico desprezando tudo o corpo e o mundo, ora um grande luta da igreja no primeiro século foi contra o gnosticismo que estava vinculado completamente no dualismo platônico encharcado no desprezo do corpo e do mundo, o que levou ao docetismo.” Creio que aqui foi o seu maior pecado de análise. Não li e nem tenho o livro do Rev Samuel Vieira, assim nada posso falar sobre a correlação entre gnosticismo [século I], neoplatonismo [século IV-V] e Nietzche, se o autor o faz neste seu livro, como você alega. Talvez realmente exista alguma ponte “Rio-Niterói” entre estas ilhas de pensamentos, mas não tenho competência pra avaliar isto. Você fez um link de Platonismo, Cristianismo primitivo, Gnosticismo, Docetismo e Iluminismo nihilista que é difícil de estabelecer uma relação direta. Creio que seria necessário documentar e trazer testemunhos de pensadores especialistas em cada área que possam concordar com a sua tese. Em outras palavras: academicamente falta fundamentação teórica.

Permita-me discordar de você – no artigo do Rev Samuel Vitalino, a frase de Nietzsche foi citada dentro do seu contexto e intenção do filósofo, como foi bem evidenciado pela resposta do Rev Charles, e mesmo numa leitura superficial poderemos descobrir que o nihilista também queria negar Deus através de uma parábola, e ao mesmo tempo demonstrar como o Idealismo e o Liberalismo Teológico alemão contribuíram para esta “morte”. Parece-me que a analogia dos templos alemães em sua arquitetura gótica com os mausoléus era apenas uma força de retórica. É possível que o termo ‘morte’ usado por Nietzsche neste texto signifique realmente não o extermínio de Deus, o que é impossível, mas o abandono e desprezo obstinado da crença em Deus, substituída pelo Deísmo de seus contemporâneos, e também pelo seu ateísmo pessoal.

3. E, por último, você escreveu: “Portando na frase de Nietzsche pode mais ajudar a igreja do que prejudicá-la contra sua luta ao gnosticismo Portanto, a frase morte de Deus usada no artigo a igreja contra ataca não tem sentido, não configura argumenta algum dentro da frase de Nietzsche.” Penso que esta sua conclusão ficou deslocada, e se Nietzsche estivesse vivo, e pudesse lê-la, ele gritaria em alto e bom tom gutural: NEIN!!! Ele nunca intencionou ajudar o Cristianismo, e os seus escritos são veneno para a Fé Cristã. Seria usar veneno na tentativa de neutralizar veneno. Em seu livro Gaia Ciência [1882] ele propôs um novo destino para a humanidade, um futuro sem Deus – sem religião.

A proposta de Nietzche era o Nihilismo. Isto é, nada possuí real significado, e nada tem importância. Poderíamos concluir que este era o valor dos escritos e do seu pensamento, bem como a sua real contribuição para a sociedade e para a Igreja de Cristo: nada!

P.S.* Apenas uma correção, embora de menor importância, mas que deve ser observado. Você inicia errando em dizer que Nietzsche “pega uma lanterna” [não seria uma lamparina?], o detalhe que não foi ele, e sim “o louco” de sua parábola, embora saibamos que o arauto da morte de Deus morreu em completa demência, humilhado em sua blasfema filosofia, o que curiosamente ocorreu 6 anos depois de seu livro A Gaia Ciência.

Caso queira ler algo além das obras de F. Nietzsche, recomendo os livros:
1. 1. CLARK, Gordon H., Thales to Dewey in: Works of Gordon H. Clark, The Trinity Foundation, 2000, vol. 3, págs. 382-386.
2. 2. DURANT, Will, A História da Filosofia in: Os Pensadores, Editora Nova Cultural Ltda., 1996, págs. 371-410.
3. 3. REALE, Giovanni & Dario Antiseri, História da Filosofia – Do Romantismo até nossos dias, Editora Paulus, 2007, vol. 3, págs. 422-437.

Eweton Tokashike

Samuel Vitalino disse...

Depois de um tempo os comentários que tinham ficado perdido naquela parada do blogger voltaram.

Anônimo disse...

Pastor Samuel, fomos muito abençoados com sua vinda aqui na Penha.