Subscribe Twitter Twitter

13 de setembro de 2010

Cuidado! Levitas na lagoa

jacaré3_thumb[5] No mundo animal o temido jacaré tem a parte da barriga formada por um couro mais fino que o restante do corpo, o que torna essa parte mais vulnerável a ataques. Vem daí o ditado popular que diz que “em rio que tem piranha, jacaré nada de costas”. A intenção do dito é clara, mostrar que as pessoas devem ser precavidas e não se expor a eventuais perigos.

Quando escreveu aos colossenses, Paulo também advertiu aqueles irmãos para que fossem precavidos: Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo” (Cl 2.8). Aos efésios (4.11-14) ele afirmou que para os crentes não serem enredados foram concedidos “dons de ensino”. A razão de ser desses dons é para que não sejamos “levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro”.

Não só nas epístolas paulinas, mas também em outras cartas do NT temos vários avisos para ter cuidado com os falsos ensinos e a afirmação de que o “instrumento de aferição” do ensino é sempre a sã doutrina, ou seja, o que a Escritura ensina.

Vivemos um tempo confuso no que diz respeito a doutrinas. Na medida em que as igrejas evangélicas têm se multiplicado, multiplica-se também a confusão. Podemos observar muitas pessoas ensinando supostas revelações de Deus, mas sem a devida preocupação de falar de acordo com o que o Senhor de fato revelou em sua Palavra infalível e inerrante.

Penso que um dos grandes problemas que enfrentamos hoje é na área musical. Os autodenominados “levitas” têm cantado coisas difíceis de se explicar, para não dizer heréticas.

Sem entrar no mérito da impropriedade do termo “levita”, pois nenhum deles nasceu na tribo de Levi, e na nova Aliança não há um grupo especialmente designado para ajudar os sacerdotes, até porque todos somos sacerdotes (1Pe 2.9), a verdade é que eles acabam “doutrinando” os seus fãs com aquilo que cantam.

Por conta dessa má doutrinação, há um grande número de “adoradores extravagantes”, crentes “apaixonados” por Jesus e irmãos que se acham “A geração de adoradores”, para não falar daqueles que querem estar no “lugar secreto da adoração”, seja lá onde for isso. Pior ainda é ouvir pessoas pedindo para “ficar com Jesus”, “tocar em Jesus”, “deitar no colo de Jesus”, dentre outras aberrações que têm sido cantadas, mas que não são encontradas nas Escrituras.

Quando essa turma da cantoria que parece não ler a Bíblia, ou se leem a ignoram, resolve “profetizar”, aquilo que estava ruim pode ficar muito pior. Dia desses recebi um vídeo em que uma famosa “pastora” e um “apóstolo” falavam de tal principado boiadeiro que tem um tripé com base em três locais do mundo, Dallas, Barretos e Madri. Isso, segundo o apóstolo, explicaria a ida da pastora para Dallas para combater uma das bases. O apóstolo, que reside em Barretos, afirma ainda que sempre tem levado “homens e mulheres” de Deus a Barretos para profetizar, tocando numa ferradura que há na cidade, que Barretos é do Senhor Jesus.

Se não bastasse isso, a pastora conta que Deus a mandou comprar uma bota de couro de cobra Python e com aquela bota ela enfrentou principados de python, mas nos EUA a bota estragou e Deus a mandou comprar uma bota de cowboy. No fim das contas, tudo isso serviu para fazer a propaganda do próximo CD que terá um figurino de cowboy e declarará que os peões são do Senhor Jesus, ou seja, no fim das contas, tudo é comércio. Ao ouvir isso é impossível não lembrar as palavras do apóstolo Pedro, que afirmou que os falsos mestres estariam dentro da igreja e “movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias” (confira 2Pe 2.1-3).

Essa mesma pastora já protagonizou outros episódios ridículos como, por exemplo, andar engatinhando em um show imitando um leão ao receber a “unção do Leão” e ao explicar a razão de tal ato descreveu tudo o que havia acontecido naquele dia, incluindo o figurino que Deus a tinha mandado usar naquela ocasião. Toda a loucura foi “em nome de Deus”.

O pior é que os fãs aplaudem, acreditam, defendem ferrenhamente tudo o que ela faz sem o respaldo das Escrituras e ai de quem falar que aquilo não procede de Deus.

No tempo em que vivemos, devemos estar bem atentos ao que escreveu o profeta Jeremias:

“Assim diz o Senhor dos Exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas que entre vós profetizam e vos enchem de vãs esperanças; falam as visões do seu coração, não o que vem da boca do Senhor. [...] Não mandei esses profetas; todavia, eles foram correndo; não lhes falei a eles; contudo, profetizaram. Mas, se tivessem estado no meu conselho, então, teriam feito ouvir as minhas palavras ao meu povo e o teriam feito voltar do seu mau caminho e da maldade das suas ações” (Jr 23.16,21,22).

Pensando nisso, bem que poderíamos fazer uma releitura do dito popular e afirmar:“Em lagoinha que tem levita, quem leva as Escrituras a sério não deveria nem nadar”. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

Milton Jr.

17 comentários:

Alan Rennê disse...

Pr. Milton,

Tal lagoa está infestada há muito tempo! Como consequência, seus "fãs" estão cada vez mais distantes do trono. O que me espanta é como algo como o discernimento está fora de moda em nossos dias.

Que o Senhor nos livre de tais aberrações!

Alan Rennê disse...

Milton,

Há muito tempo que tal lagoa está infestada desse jeito. O pior é que a cegueira de muitas pessoas no meio evangélico não as deixa enxergar tais aberrações. Com isso, elas estão cada vez mais "distantes do trono". Discernimento, infelizmente, é algo fora de moda em nossos dias.

Que Deus se apiede de nós!

Alfredo de Souza disse...

Milton, é como declama o Mentecapto:

"Confissão do nada; fé de nada que muito exala o manhoso aroma,

Transformando minha confissão na confecção mesquinha.

Pois o que quero é encharcar a minha fé nas águas salobras de uma lagoinha"

Grande abraço.

José Aristides disse...

Caro rev. Milton, a sua postagem toca em pontos nebulosos do espalhafatoso "comércio da fé". O que temos visto (mas que parece ainda não bem entendido por todos nós) é que este povo tem doutrinado a muitos com essa coisa rídicula e circense de "profetizar". As suas músicas tem ensinado aberrações e heresias perniciosas e ruinosas à fé bíblica.
Você agiu como um verdadeiro profeta, denunciando publicamente os falsos profetas.
O Senhor te bendiga!

Ashbel Simonton Vasconcelos disse...

Pr Milton,
Excelente artigo. Um importe alerta para os que lidam na área de música nas igrejas e também para todos que gostam de "curtir" o som das igrejas, que muitas vezes atende somente uma agenda puramente humana (antropocêntrica), e não ensina a doutrina fiel, e portanto, não pode agradar a Deus. Alguns músicos estão somente mercadejando a fé, visando lucros, e outros buscam somente um momento de glória tendo um público ativo nas suas igrejas fazendo do culto verdadeiros shows. Graças a Deus muitos permanecem fiéis, usando a música para o louvor da glória de Deus e doutrinação do Seu povo.
Fujamos de toda semelhança com a logoinha onde nada a leoua com suas belas e envenenadas botas de piton.
ab
Simonton

Charles Melo disse...

Milton,

Seu post é um alerta para que pensemos e enxerguemos as coisas com as lentes da Palavra de Deus. Sola Scriptura! Precisamos de reforma hoje!

Abraço!

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Rev Milton
É um exercício de paciência ouvir os levitas da lagoinha! Mas como tem gosto pra tudo, inclusive de quem não se preocupa com a fidelidade bíblica, haja paciência!

Bom post,
Ewerton

Alan Kleber Rocha disse...

Grande Milton,

Parabéns pelo post. Não se reprima! escreva mais pra gente. Refletir sobre os seus escritos glorifica a Deus e nos faz bem.

Abraços

Milton Jr. disse...

Allan Renê,
A falta de discernimento se dá por conta da pouca meditação nas Escrituras. Infelizmente, poucos são os bereanos.
Obrigado pela visita.

Milton Jr. disse...

José Aristides,
Sabemos pela Escritura que o comércio com a fé aconteceria, mas ainda assim ficamos estarrecidos, não é mesmo?
Que Deus nos mantenha fiéis.

Milton Jr. disse...

Alfredo, Charle, Tokashiki e Alan Kleber,
Obrigado pela força.

grande abraço.

Lucas Salgado disse...

Pr Milton,

Muito bom seus comentários. Hoje os "mantras" gospel invadiram nossas igrejas e vivemos musicas "cheias de vazio". É muito dificil encontrar músicas com conteudo e ao mesmo tempo com qualidade.

Mas acredito que esse foi um defeito nosso. Deixamos de fazer músicas com qualidade e a lacuna foi preenchida por esses "levitas".
Se você fizer um levantamento de boas músicas que existem elas dataram de mais ou menos da decada de 70 com os vencedores por cristo e joão alexandre, que faziam músicas com passagens bíblicas. Desde então pouca coisa foi criada, pelo menos que eu conheça.

Gostaria muito de poder escultar e cantar novas melodias com letras tiradas do salmos e de outras passagens biblicas.

Gabriel disse...

Fiquei triste com o que li. Sabendo que foi escrito por um homem de Deus, falando de pessoas de Deus. Porque não paramos de citar o que os nossos irmãos fazem ou deixam de fazer em nome de Deus, e começamos a clamar e ser remédio?! com sabedoria.
Tenho plena convicção de que temos uma missão maior do que essa de ser céticos e mal-intencionados em nossos blogs.

Que possamos amar, até mesmo se não concordamos com o que o outro faz. Não somos donos da verdade, mas que procuramos viver a verdade dentro de nós.Deus, Espirito Santos, Cristo.
Amém.

Deus Nos Abençoe.

Milton Jr. disse...

Caríssimo Gabriel,
Primeiramente, obrigado pela visita.

Remédio pressupõe diagnóstico. Como você leu no post, as Escrituras nos ordenam a estar atentos aos ventos de doutrina e, para isso, é necessário julgar todas as coisas pelo crivo da inerrante Palavra de Deus.

Você se entristeceu com o que foi dito no post, eu tenho me entristecido com essa sandice pseudo-espiritual que tem sido feita em nome de Deus. Denunciar o erro não é falta de amor, pelo contrário, é demonstrar amor apelando àqueles que têm pecado contra o Senhor que se arrependam de suas ações. Lembre-se que Jesus ensinou que é pelo fruto que conhecemos a árvore (Mt 7.15-20) e que Paulo afirmou que se mesmo se for um anjo do céu que pregue um evangelho que vai além do que os apóstolos pregaram que seja maldito (Gl 1.8).

Mais complicado ainda é negar o discurso com a prática. Ao mesmo tempo em que me acusa de falta de amor, afirma que sou cético e mal-intencionado. Em meu post denunciei o erro, sem entrar no mérito das intenções do coração dos que erraram e têm feito outros errar. Você sequer refutou o que eu escrevi usando a Bíblia, simplesmente considerou que fui mal intencionado. Você deve concordar comigo que isso não foi tão amoroso assim.

Na verdade não sou cético, mas também não sou crédulo. Sou crente e justamente por crer na verdade, que é a Palavra de Deus, procuro julgar todas as coisas tendo ela como referencial, e esta é justamente a proposta do blog, olhar para o que tem acontecido ao nosso redor e perguntar: E a Bíblia com isso?.

A verdade não é nossa, é da Palavra do Senhor, e como leu no post, ela mesma nos autoriza a julgar todas as coisas.

Grande abraço.

Milton Jr. disse...

Caro Lucas,
você está certo. Deixamos de compor coisas boas e estamos sofrendo com isso. Mas ainda há esperança. A IPB, por exemplo, por meio do Conselho de Hinologia, cujo presidente é o Charles que também escreve aqui no blog, lançou um CD de cânticos contemporâneos com excelente teologia e, o melhor, colocou à disposição para download gratuito.
Precisamos incentivar e também aderir a iniciativas como essa.
grande abraço.

Alan Kleber Rocha disse...

Grande Lucas,

Além da iniciativa da Comissão de Hinologia da IPB, logo nós teremos o primeiro Saltério Brasileiro. Existe uma comissão irmãos reformados brasileiros preparando esse tesouro da nossa herança reformada.

O caminho é por aí...

Grande abraço,

Alan

Anônimo disse...

Vale ressaltar com tristeza em meu comentário que este ministério que foi referido no texto é o que mais cresce juntamente com outras Igrejas que possuem a mesma liturgia em Belo Horizonte.